sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

A importância do sobrenome do homem

Segunda parte: A origem e a importância do sobrenome masculino

Assinar o sobrenome do marido não é algo bobo, sem sentido, imposto pelo Patriarcado para oprimir as mulheres. Os sobrenomes tiveram origem na Idade Média. Começou com a associação do nome de uma pessoa ao lugar de onde ela morava. Por exemplo: tem um cara chamado Rodrigo e ele mora em Manaus. Ele fica conhecido por Rodrigo de Manaus.


Um dia, Rodrigo, conhece em Curitiba, uma moça chamada Camila. Quando resolvem se casar, a jovem Camila de Curitiba vai morar em Manaus, junto à família de seu marido, que tem propriedade. Então a jovem Camila de Curitiba passa a se chamar Camila de Manaus.


Geralmente as mulheres é que se mudavam para a terra do marido, pois era da obrigação do homem trabalhar e prover sua família. Ele tinha suas terras ou negócios e a mulher nada tinha até então, por isso seu deslocamento era mais fácil.


Entre a nobreza, era a mesma coisa. O nome, o título e a herança passavam ao filho varão (homem mais velho). Por que não passar para a filha? Pois senão, ao casar, as posses desta família passariam para as mãos do marido desta. Assim como a linha de sucessão na maioria dos reinos europeus era masculina. Não era por simples “capricho machista”, “opressão feminina”, mas para a segurança e bem estar da família real e de todo o reino.


Assinar o sobrenome do marido, nos dias de hoje, é um ato de amor. Significa uma entrega da mulher (voluntária) ao homem que ama e confia. Ela não deixa de ser da família de seus pais, pois continuará assinando o sobrenome deles, ela apenas irá acrescentar o sobrenome do marido, com quem formará uma nova família.


Feministas dizem que assinar o sobrenome do marido é fazer da mulher “propriedade do marido”; porém, vejam uma coisa. Ela esta adotando o sobrenome e não o primeiro nome. Em partes, as feministas estão certas. A mulher deixa de pertencer à família do pai para pertencer à família do marido. A palavra PERTENCER é usada nesta caso como “fazer parte”. Quando a mulher assina o sobrenome do marido é como se ela fosse adotada por esta família. Agora, marido e mulher formam uma família só. Este é o sentido e a importância do sobrenome.


Alguns homens estão assinando o sobrenome de suas esposas. Isso é a maior prova de submissão que um homem pode fazer. É fazer o que as feministas sempre quiseram, que é inverter os papéis e assumir aquilo que sempre foi visto como sinal de inferioridade para a mulher. O sentido do sobrenome se perde e este homem pode ser mal visto por sua família (pais, irmãos e parentes). Além disso, como ficaria um oficial do Exército que usasse o sobrenome da mulher? Será que ele seria respeitado ou seria visto como um homem dominado pela esposa, por isso, indigno da autoridade que tem?

Somente um homem desonrado, um “mangina” para aceitar tal ultraje. Um legítimo macho beta, atestado em cartório!


Se você não acha casamento civil necessário e nem que sua mulher tenha teu sobrenome, você estará contribuindo para as idéias feminazistas de derrocada da família. Como pode ver, as feminazis fazem tudo o que podem para colocar as mulheres contra os homens, desestruturando as relações entre os sexos e prejudicando a formação de uma família tradicional por um CASAL de verdade. Como não se aprova casamento entre homossexuais, as feministas tentam boicotar com o casamento convencional. Se as bichas moram juntas e formam “casais” igualitários, porque não fazer isso com homens e mulheres?






25 comentários:

Aline Ramos disse...

"desestruturando as relações entre os sexos e prejudicando a formação de uma família tradicional por um CASAL de verdade."

MUITO BOM!!! É isso mesmo!! Como "não existem mais diferenças" entre homem e mulher, quase nunca se encontra um CASAL DE VERDADE liderando uma FAMÍLIA DE VERDADE!!! Simplesmente, os homens NUNCA conseguirão ser iguais às mulheres, e as mulheres NUNCA conseguirão ser iguais ao homens! Isso é impossível!! Será que ninguém percebe que nós SOMOS DIFERENTES??? Toda essa briga é mesmo arma dessas (muito bem descritas) feminazistas que querem destruir todo e qualquer valor moral referente à Família!!

Parabéns de novo!

Aline Ramos disse...

Só uma pergunta.

O que significa esse símbolo vermelho aí no topo do blog (que também está nas comunidades do orkut)? Tem uma aparência meio semelhante a símbolos de seitas. Qual a origem dele?

mazzy disse...

Olha...
Antes de se declarar "antifeminista", você deveria saber mais sobre o feminismo!
Dizer que as feministas querem acabar com a família é a maior idiotice que alguém pode falar! Sério!
Dizer que as feministas querem ser iguais a homens tb é de uma imbecilidade sem tamanho.

Pena que blog qq um escreve, fazendo de conta que sabe, e alcançando um monte de gente que sabe menos ainda e toma essas asneiras como verdade também.

Vale ler: A Mística Feminina, de Betty Friedan. Mas imagino que seu interesse não seja ler e desmistificar as coisas, e sim apenas continuar falando asneiras se achando entendido!!!

mazzy disse...

Esse livro, que indico acima, é como uma bíblia para as feministas. Se perdesse tempo lendo-o, reconheceria as asneiras que fala.
Como não irá lê-lo, colo alguns trechos para vc:

* Tornou-se moda nos últimos anos rir do feminismo, considerando-o uma das piadas da história, e caçoar daquelas mulheres ridículas que lutavam pelos direitos de seu sexo a uma educação superior, ao voto e à vida profissional. Eram vítimas neuróticas da inveja do pênis, querendo ser iguais ao homem, é o que agora se diz. Na luta pelo direito de participar de tarefas importantes e tomar decisões na sociedade ao mesmo nível que seu companheiro, elas negavam a própria natureza feminina, que só encontra a sua realização através da passividade sexual, da aceitação do domínio masculino e da maternidade.

* As feministas foram pioneiras na própria vanguarda da evolução feminina. Precisam provar que a mulher era humana. Precisavam despedaçar, com violência se necessário, a estatueta de porcelana que representava a mulher ideal do século passado. Precisavam provar que ela não era um espelho vazio, passivo, uma decoração inútil, um animal sem inteligência, um objeto a ser usado, incapaz de interferir no próprio destino, antes de começarem a combater pelo direito de igualdade com o homem.

* A mulher só tinha uma função: agradar o homem. Era totalmente dependente de sua proteção num universo que não ajudara a criar. Era incapaz, portanto, de formular a simples interrogação humana: «Quem sou eu? Que desejo?»

* Mesmo que o homem a amasse como a uma criança, uma boneca, um objeto, que lhe desse rubis, cetins, veludos, que a agasalhasse em sua casa e a protegesse como aos filhos, não ansiaria a mulher por algo mais?

* Por estranha perversão da história, acredita-se que o entusiasmo e o ímpeto do movimento feminista nasceram do ódio ao homem, nutrido por solteironas amargas, esfomeadas de sexo, castradoras, assexuadas, que se consumiam em inveja tão profunda do órgão masculino que desejavam arrebatá-lo, destruí-lo, exigindo direitos apenas porque não tinham capacidade de amar como mulher.

* «A mulher precisa não de agir ou dominar como mulher», disse Margaret Fuller, «e sim de uma natureza para evoluir, um intelecto para discernir, uma alma para viver livremente, e a possibilidade de desenvolver sua potencialidade».

* Somente o homem tinha o direito de voto, a liberdade para traçar as grandes decisões da sociedade. Somente o homem era livre para amar, regozijar-se no amor e decidir sozinho, aos olhos de Deus, que era certo ou errado. Desejaria a mulher essa liberdade por querer ser homem? Ou por ser também humana?

* Feminismo não foi um mau gracejo. A revolução feminista precisava ser empreendida porque a mulher ficou simplesmente detida num estágio de evolução muito aquém de sua capacidade humana. «A função doméstica da mulher não esgota as suas potencialidades», pregava o Rev. Theodore Parker em Boston, em 1853. «Obrigar metade da raça humana a esgotar suas energias unicamente nas funções de governanta, esposa e mãe é um monstruoso desperdício do mais precioso material criado por Deus».

* O mito de que as feministas eram «monstros antinaturais» baseava-se na crença de que destruir a submissão da mulher, ordenada por Deus, seria destruir o lar e escravizar os homens. Tais mitos surgem em todas as revoluções que fazem progredir uma parcela da família humana no sentido da igualdade. Sejam as feministas representadas como seres desumanos, furiosas devoradoras de homens, ofensoras de Deus, ou nos termos modernos como pervertidas sexuais, não diferem nisso do estereótipo do membro de sindicato anarquista, ou do negro encarado como animal primitivo.

Indefinido disse...

http://www.youtube.com/watch?v=t1NQUQojZ7w


Dona Nazzy!Coloquei Nazzy propositadamente.Feminismo é bom!Mas já viu esse vídeo aí de cima,para falar uma merda dessa?Pois.quem está falando baboseira é a senhora.Aí,vem citar uma intelectualóide de meia tigela como essa tal dessa Betty Friedam.Todas elas,lunáticas,feminazistas de carteira.Tanto ela como a Simone Behaviour.Uma das duas é ex-prostituta.Que morla tem para apontar para os homens,como fez durante décadas?Porra de moral nenhuma.E é isso que vem citar aqui como fonte.Dfensora do feminismo que é,explique esse vídeo.

Indefinido disse...

Gostei Lobo, do exemplo do Exército.E o exemplo do nome do homem ficar co ela,ao invés do contrário,por ele ser a proteção e segurança,no caso da família real.Isso feministas como essa daí,não falam quando vão protestar e bradar merdas nas ruas e programas de TV.

Tobi disse...

Essa mazzy é uma retardada. Não importa o que a bosta do seu livro de cabeceira aí diz, o feminismo como um todo é uma corporação de choronas irritantes que não cansam de reclamar e de se fazer de vitima. Uma corporação lotada de lésbicas e liberais, sendo que muitas ODEIAM homens. Uma corporação que fudeu o mundo ocidental nas ultimas décadas e até um orangotango pode perceber isso.

Sem mais.

Indefinido disse...

Muito bem colocado Tobby

mazzy disse...

Hahahahaha mas que filme mais idiota! O que isso significa? O que vc quis dizer com esse vídeo?
Sério, a sua resposta foi mais ignorante do que o post original!!! É pra rir?

Você só não respondeu de maneira coerente os meus argumentos (talvez vc não tenha conhecimento suficiente para isso).

As feministas NÃO querem acabar com a família. Isso é uma idiotice. E mentira!

As feministas NAO querem ser iguais a homens.

De onde vc tirou isso? Serio, me mostra. Pq no livro INTEIRO que te indiquei (e vc provavelmente nao eh afeito a leitura), nao se menciona nada desse tipo em nenhum momento! Nem da a entender!

Falar do q nao sabe eh feio, eh ignorancia. Vai estudar antes de atacar o desconhecido... Se quiser, te passo os horarios do telecurso na TV.

mazzy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mazzy disse...

Ah, e da mesmo pra ver o quanto vc NAO sabe do que fala.
Simone de Behaviour???
HAHAHAHAHAHAHAHAHA

Se sabe das credenciais delas tanto quanto sabe escrever, mostra que da missa nao sabe a metade.

Ah...
E nenhuma das duas foi prostituta. Alguem t contou uma lorota, vc ficou todo impressionadinho e agora fica repetindo como se fosse verdade...
Serio...

Eu hein.

Lobo Sagrado disse...

Agradeço a todos pelos comentários, concordando ou discordando das minhas palavras.

Lobo Sagrado disse...

Sra. Nazzy,

Você até me pareceu uma pessoa respeitável no início, mas vejo que a sua máscara caiu e deixou bem claro que não passa de mais uma feminista histérica e arrogante.

Você não passa de uma mulher mesquinha e ignorante. Sei mais sobre feminismo do que você sabe sobre mim; e sei mais de feminismo que muitas de suas amiguinhas.

Não me venha com essa de "feministas não são isso ou aquilo", que de teoria todos estamos fartos. Sei que na teoria, o feminismo é do bem, que só quer libertar a mulher da escravidão e blá, blá, blá, mas a prática é diferente.

As feministas jamais vão dizer que são contra a família, mas suas atitudes deixam claro isso. Uma delas é defender o aborto. Críticas ao casamento são muito frequentes, chamar dona de casa de burra também é de práxe. Não fale por todas, pois você não é o Feminismo, mas só uma de suas representantes. Você pode não ser contra família, casamento e libertinagem, mas é esta a bandeira que a terceira onda carrega.

Sobre o livro da Betty Friedan, agradeço pela dica, mas já tenho ele aqui em pdf há tempos. Li somente alguns trechos, não tive tempo para lê-lo integralmente, pois o livro é grande e tenho muitas outras leituras para fazer.

Betty Friedan não é a única feminista influente, existindo outras com idéias diferentes que também inspiraram muitas malucas.

Não me subestime, se não soubesse do que estou falando, não perderia tanto tempo falando disso. Tua frustração é ver que nem todo homem antifeminista é um ignorante, pois te parece inaceitável alguém esclarecido e conhedor do assunto repudiá-lo até a morte. Imagine, então, mulheres vindo aqui e dizendo que concordam comigo. Devo doer muito no teu ego inflado de feminista-senhora-pode-tudo.

Antes de me criticar, leia mais o meu blog e encontrará explicações para tudo o que venho dizendo. Depois volte aqui e diga que tudo o que eu disse foi invenção da minha cabeça, pois se for, ainda sim terá de admitir que sou um gênio da criatividade por criar tanta fantasia.

mazzy disse...

Sim, me parece inaceitável alguém esclarecido e conhedor do assunto repudiá-lo até a morte.

Indefinido disse...

"Não me subestime, se não soubesse do que estou falando, não perderia tanto tempo falando disso. Tua frustração é ver que nem todo homem antifeminista é um ignorante, pois te parece inaceitável alguém esclarecido e conhedor do assunto repudiá-lo até a morte. Imagine, então, mulheres vindo aqui e dizendo que concordam comigo. Devo doer muito no teu ego inflado de feminista-senhora-pode-tudo."

Otária!Muito bem colocado Lobo!Quer vende a merda do seu peixe vá lá para lésbicas enrustidas de suas amigas.Tá achando ruim.Pode te ceteza,que muitos homens e mulheres esclaecidos já estão aderaindo paa cobrar desse movime]nto barato,qoe ele vem afirmando,mas não prova nada.De que a mulhe pode fazertudo que um homem faz.Faz!Mal feito!

Indefinido disse...

Outra coisa,Dona Nazista.A sua Bettyzinha,já foi batida e ebatida por nossos amigos daqui e do Orkut.Sabemos de muitas falácias que essa indigente propagou como verdade apenas porque as pessoa,principalmente mulheres,não tiveram um mínimo de senso crítico e aceitaram isso como verdade.Aí você vem falar de pessoas esclarecidas.è por sermos esclarecidos,que conhecemos a sujeira por trás das falácias do feminismo.E vamos chegar a muito mais.Feminismo não é coisa de esclarecido nem intelectual.É coisa de iludido e intelectualóide.

mazzy disse...

Eu só não entendi ainda a associação do que eu disse com o nazismo (pois me chama de nazista).
Não parece muito esperto inventar apelidos baseado em... nada. Parece coisa de criança, isso sim.
Alguém consegue ter uma reação mais madura e conversar que nem gente grande?

Indefinido disse...

Talvez não pois não gosto de feministas e nem estou interessado em ser educado e cordial com esse tipo de gente.Mulheres que falm isso e auilo do homem e da mulher que não aceita o feminismo por um acaso também é o que?E por que vou ser delicado com ela?Ai de nós,homens e mulheres que sejamos contra o feminismo,mesmo de forma cordial e educada.Como você mesma acha que feminismo é pra esclarecido e ser contra é ignorância.Isso é como se fosse uma ditadura.Por isso é feminazismo sim

Lobo Sagrado disse...

"Alguém consegue ter uma reação mais madura e conversar que nem gente grande?"

Se nem você sabe discursar como uma pessoa adulta, como pode exigir maturidade dos outros?

Hamanndah disse...

lobão, nem mulher nem o homem são "propriedade", nem "coisa" de ninguém, para ser marcado como gado, como se marca no couro do gado a marca do dono. Nem homem nem mulher merece ter sua dignidade atingida e ser escravo(a) de outro ser humano

ok, sei que voce vai me xingar devido ao meu comentário. Nada mais "democrático" vindo de voce

Lobo Sagrado disse...

Se eu não fosse uma pessoa democrática, não abriria espaço para que pessoas como você pudessem vir aqui me atacar com insultos gratuitos.

lobodeaizu disse...

Humpf grande coisa, nos tempos atuais com essa liberdade sexual feminina(putaria), e promiscuidade total, eu não quero que um depósito de esperma carregue e manche meu sobrenome.

Lindalva Cordeiro disse...

Engraçada a mulher desprezar o seu sangue e nome de família, tudo bem. Porém, o homem? Meu Deus, esse ser superior, onde já se viu passar a pertencer à família do marido? Uma humilhação, isso mostra o quanto a mulher é considerada ser inferior. Por isso não tirei nem um nome de família e fiz questão de pôr meu sobrenome nos meus filhos.

Xartica disse...

Cara você só fala blasfêmias
Se o mulher aceita o sobrenome do homem pra VC td bem se o papel se inverte quer dizer submissao?
Cala a boca criança
Volta a ver cavaleiros do zodíaco que lá q é teu lugar

Jober Fiuza disse...

É triste perceber que a maior parte dos que são contrários a reflexão do post aparentemente nem leram ou entao não sabem interpretar uma leitura.
O texto é uma leitura histórica da questão é não é machista é quase antropologico, pois quem criou e liderou a sociedade foi o homem.
O grande vilão de todos os processos sociais é justamente o SOCIALISMO, ele cria a separação das classes colocando uns contra os outros fica na infinita vitimizacao de minorias.
É O CICLO DO CAOS.