terça-feira, 26 de janeiro de 2010

O Feminismo tornou a mulher um mero objeto do prazer masculino

Uma das grandes “bandeiras” levantadas pelo Feminismo atual é o de anti-pornografia, a luta contra a “objetificação do corpo feminino”, atribuindo isso ao... adivinhem! Quem respondeu “Patriarcado”, leva o prêmio.
Vou rebater mais um argumento feminista e depois me digam se o que eu disse tem ou não tem fundamento.

De acordo com as feministas, os homens – através do patriarcado – sempre reprimiram as mulheres. Antes da liberação feminina, a mulher era obrigada a guardar sua virgindade até o casamento. A mulher devia manter seu corpo totalmente coberto. Mulheres que tentavam a vida como atrizes e modelos eram consideradas “putas” por seus familiares e rejeitadas pelos pretendentes.

Na década de 60, as feministas caíram em cima, exigindo liberdade e igualdade, queimando sutiãs e desfilando seminuas nas ruas. Muitas delas faziam parte de outros movimentos, como o dos hippies. Levavam ao extremo sua ideologia de liberdade, igualdade, de amor livre e viver como se bem entende. Muito sexo, muitas drogas, muita exposição e vergonha para suas famílias.

As reivindicações feministas foram ouvidas e mulheres do mundo inteiro passaram a ser livres, usando de seus corpos como bem entendiam. Podiam transar sem casar, transar sem mesmo conhecer o parceiro previamente. No início parecia tudo bom, maravilhoso. Aparentemente, a aceitação masculina parecia positiva e estes homens eram (e ainda são) considerados “modernos” “cabeças abertas”. O que ocorreu, na verdade, é que os homens já não precisavam mais pagar por sexo. Em décadas passadas, o sexo só existia com a esposa e com prostitutas. Poucas mulheres eram “livres” para transar com estes homens apenas por diversão. Além disso, o sexo com a esposa nem sempre era bom, pois a coitadinha era muito reprimida.

Enquanto os canalhas, promíscuos, dentre outros tipos mesquinhos e irresponsáveis comemoravam a liberação feminina (se fazendo de modernos, sempre concordando com os argumentos destas mulheres), o homem de bem, honesto, justo, responsável, este passou a ser desprezado. O homem que buscava numa mulher as virtudes que o feminismo desprezou, aquele que se era considerado “bom partido”, “ homem pra casar”, passou a ser chamado de “retrógrado”, “machista opressor”, e hoje continua levando a pior nos relacionamentos por não desistir da idéia de ser um cavalheiro e encontrar uma dama de verdade. Muitos homens de bem e honestos acabaram corrompidos, desiludidos em encontrar uma mulher que prestasse e hoje fazem parte da grande lista de cafajestes e irresponsáveis deste mundo.

A mulher pode então mostrar seu corpo sem censuras, usar microssaias, fazer top less, posar nua a até fazer filmes pornográficos sem serem marginalizadas. A mulher do século 21, do ano 2010, é a mulher totalmente livre. Não importa o que ela fizer sexualmente, ela jamais deverá ser criticada por isso. Não importa se ela vai de saia curta pra universidade, ou se o vestido é decotado demais para um casamento, nem se pode demitir uma professora primária porque ela gosta de rebolar com a calcinha enfiada no rego em praça pública. São as próprias feministas quem defendem todas estas mulheres.

As mulheres que fazem de seu corpo um objeto de uso e desfruto dos homens, que se reduzem a um pedaço de carne ambulante, que desprezam suas outras qualidades e acreditam que o que elas tem de mais importante são suas bundas enormes e disformes. É aí que entra mais uma incoerência (ou seria canalhice mesmo) feminista:

Como é que as feministas podem acusar o Patricardo de tratar a mulher como objeto, se as próprias são as primeiras a defender mulheres que fazem de seu corpo um mero objeto de prazer?

Se hoje os homens só querem sexo e nada de compromisso, com certeza isso não é culpa do patriarcado. Nunca que um pai MACHISTA iria ensinar ao seu filho a ser um canalha, sedutor de donzelas. O pai incentivava o filho a praticar sexo, mas com mulheres de vida livre e com prostitutas, mas nunca com as moças donzelas e de boa família. O feminismo liberou a mulher pra transar com quem quisesse e hoje as mulheres não se importam mais com regras sociais; assim como cadelas no cio, que não escolhem hora e lugar, deixando-se levar apenas por instintos, estas mulheres se entregam pro primeiro canalha que as atrair sexualmente. Pensam que são livres, mas na verdade, são escravas deste sistema que o feminismo criou. Não passam de brinquedinhos nas mãos dos homens jovens e livres, estes sim, os grandes beneficiados, com muito sexo de graça.

Se tem mulher fazendo pornografia, a culpa não é do patriarcado. Este mulher é livre e está fazendo aquilo por dinheiro. As feministas tentam transformar a mercenária do sexo em vítima, na intenção de validar seus argumentos, mas somente alguém muito ingênuo ou burro para acreditar nelas.

As conseqüências desta liberação só prejudicaram a mulher de bem. A virgindade, ao contrário do que dizem as feministas, não foi criada para oprimir a mulher, mas para protegê-la também. Nos tempos onde não haviam regras, os homens tomavam mulheres à força. Como a libido masculina é naturalmente maior e os homens são mais fortes, era comum homens “estuprarem” as mulheres do grupo. Com a instituição de regras, do casamento monogâmico, mesmo obrigada a casar com um homem que não quisesse, a mulher estaria protegida de todos os outros. Foi a partir daí que se criou o conceito de estupro, tornando-se um dos crimes mais abomináveis da sociedade, por este tirar da mulher sua honra, que passou a ser sua castidade.

Quando o feminismo contestou esse “tabu” e as mulheres passaram a transar sem casar (com a desculpa de que agora tinha a pílula), os homens canalhas, solteirões convictos, fizeram a festa. Era um tal de “larga mão disso, meu amor, vamos transar, hoje não precisa casar pra isso”, “é claro que vou casar com você, eu te amo tanto...”. As mulheres aprenderam rapidamente o que era sexo fora do casamento, mas ignoraram o uso da pílula anticoncepcional. O resulto é o grande número de mães solteiras que vemos por aí.

Nos tempos onde a virgindade era pré-requisito para casar, as mulheres estavam protegidas dos canalhas. A menina recusa o sexo ao namorado e para que ele ficasse com ela, teria de amá-la de verdade. Este homem se casava com ela por amor e vontade de constituir família e só aí desfrutava de uma vida sexual com esta mulher. Com a liberação, muitos canalhas fingindo serem honestos, conseguiam o que queriam logo e depois caiam fora, deixando a moça “desonrada”. O homem que as feministas tanto odeiam e chamam de machistas são estes que recusam mulheres rodadas e buscam as inexperientes para casamento. Para o feminismo, o homem de bem é pior do que o canalha.

Para quem luta tanto contra a objetificação do corpo feminino, é muito estranho defender aquelas que fazem do seu corpo um instrumento do prazer masculino. O feminismo cria monstros e depois tenta jogar tudo em cima do patriarcado. Dizem que “no amor e na guerra vale tudo”, mas há outra frase que diz “tudo tem limite”, e as feministas não tem limites. Elas jogam mais do que sujo, jogam sordidamente. E seu poder só continua porque ainda existem HOMENS do lado destas pragas. Dos homens, temos grandes capitalistas, miguxos, pederastas e companheiros capachos, cada um com seu motivo para apoiar este movimentinho ridículo.

Após ler tudo isso que eu relatei acima, você ainda acha que as feministas são mesmo contra a objetificação do corpo feminino? Sempre que a sociedade pede um “basta” nesta liberação toda, as próprias feministas vão lá fazer protesto e defender a vadia.

Aquelas que lutam pela valorização feminina, pelo reconhecimento da mulher como ser igualmente pensante, inteligente e produtivo, são as mesmas que defendem mulheres que fazem exatamente tudo ao contrário do que se tanto defende? Confuso, não? Pois é, as próprias feministas não se entendem. Seus princípios se contradizem e elas não sabem como argumentar com racionalidade, por isso mesmo que sempre fazem protestos barulhentos, tudo na intenção de desviar a nossa atenção às suas falhas. Tentam nos impor suas vontades na base do grito, dos apelos emocionais, na comparação de nossa ideologia com a de ideologias “politicamente incorretas” (como o nazismo e a escravidão), mesmo que não haja nenhuma relação entre elas.

Fiquem atentos, pois o feminismo não mede esforços e não se importa com regras. Quem compra briga com essas cobras, pode estar comprando uma passagem para o Inferno.

31 comentários:

Mauricio Trindade disse...

Existe uma incoerência grande no movimento feminista, as começar que o que era para ser instrumento de libertação se tornou obrigação, como se toda a mulher tivesse que se encaixar neste modelo de vida da chamada "mulher moderna", no fundo eu penso que existe muita mágua e ressentimento deste grupo de mulheres com relação aos homens, é por isso que muitas ficam depresivas. Mas, mais do que isso, feministas querem anular a opinião masculina, querem que a mulher possa fazer tudo o que ela quiser sem que isso possa agradar aos homens de alguma maneira, é por isso que defendem esta liberdade sexual feminina, mas querem que os homens a respeitem como se fosse qualquer outr mulher como uma mãe de família, o femismo é ridículo.

Indefinido disse...

Vejam vocês que elas dizem ser contra a prostituição e promiscuidade como um todo.Mas vejam o caso da Geysi.Ela mesma,afirmou que foi muito apoiada por feministas,quando aconteceu aquilo com ela.Não que estou dando razão à baderna.Pois sou contra trotes,algazarras e todo esse tipo de coisa num ambiente sério como uma universidade.Porém,feministas apoiarem o uso de roupas provocantes,tipo de puta,sendo que se dizem contra a prostituição,já soa contraditório como o próprio movimento.

As Melhores Dicas... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aline Ramos disse...

Puxa!!! Confesso que este é o primeiro blog em que HOMENS falam contra o feminismo!!! Já há algum tempo que tenho lido e participado de discussões a esse respeito, mas sempre com MULHERES (sim! ainda existem mulheres que acreditam nos valores tradicionais de vida e família).

Estou surpresa, mas também muito feliz por ler palavras assim vindas de homens! Que bom que ainda existem homens que se preocupam com a proteção da mulher, com sua pureza e feminilidade (verdadeira), com assumir papéis que elas não devem (nem estão preparadas) para assumir!

Gostaria de postar esse texto no meu blog (Mulheres Virtuosas), pode ser?

Vou adicionar o blog em meus favoritos também!

Continuem assim!

alice disse...

precisava vir aqui pra te parabenizar Lobo,mais um exelente texto.

Da vontade de espalhar estes textos em forma de panfletos nas ruas para que todos tomem conhecimento do estrago que o feminismo fez no mundo,

desculpe é que eu fico anciosa.

Indefinido disse...

Alice e Aline!Felizes ficamos nós,quando descobrimos que ainda existem mulheres de verdade como vocês.Eu passei muito tempo,achando que todas estavam contaminadas por esta ideologia,pois no meu dia dia,ainda recém-saído da adolescência,era essa informção que chegava até mim.Seja pela tv,pela boca das outras pessoas ou pela simples impressão,fazendo uma análise grosseira.Tamanha a contaminação,era essa a forma como enxergava.E na minha vivência como antifeminista aqui e no Orkut,vejo muitas mulheres terem honra e coragem para falar contra o feminismo também.Não sabe a satisfação que isso me dá.Sobre panfletagem,é uma ideía excelente.Apoio isso.No que puder ajudar,pode contar comigo.E bom que seja uma iniciativa feminina,pois,partindo de nós,somos suspeitos para falar,pois vem sempre aquela acusação que sempre ouvimos.Vindo de mulheres,quero ver o que vão dizer.

Hamanndah disse...

OK, voces aqui vão me xingar, mas vou dar minha humilde opinião:

Viva a liberdade sexual do homem e da mulher, abaixo, porém, o uso da buceta para se dar bem na vida, abaixo o Sexo pela força, viva o sexo consentido, viva os jovens descobrirem a sexualidade com amor e não no puteiro, viu, lobão:?

interesSante, lobao, voce denomina puta qualquer mulher que queria fazer sexo sem estar casada, mas se voce, solteiro, for a zona, voce não é puto, mas a moça que faz sexo com voce é puta, ou seja, voce, o homem que vai na zona, merece reSpeito, mas a prostituta que vende o corpo dela, não merece respeito....

é assIm que voce defende que homens e mulheres merecem ambos respeito...muito interessante issO

Rila disse...

Em primeiro lugar, o feminismo no seu objetivo principal prega a igualdade de gênero, se foi distorcido ou não cabe fazer uma discussão sim, mas sem generalizações.
Em segundo lugar, esse texto está muito senso comum e sem embasamento científico nenhum, ou seja, na história, na sociologia, na antropologia...
Faça mais leituras antes de afirmar determinadas colocações!!!

Lobo Sagrado disse...

Sra. Rila,

Você citou o que pregam as feministas em sua teoria, mas a prática é bem outra. Se o feminismo quisesse mesmo a igualdade entre os sexos, não defenderia o direito das mulheres se aposentar mais cedo. A lei Maria da Penha, por exemplo, é o maior exemplo disso. Você quer fontes, então olha:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm


"Art. 1o Esta Lei cria mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8o do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Violência contra a Mulher, da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher e de outros tratados internacionais ratificados pela República Federativa do Brasil; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; e estabelece medidas de assistência e proteção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar."

Começa por aí, onde está imparcilaidade? Você acha que somente as mulheres são vítimas de violência doméstica? Alegar que o número de mulheres é superior ao de homens não vale, pois independente do número de homens agredidos ser mínimo, não se deve ignorar. Onde está a lei que vem para proteger os homens que sofrem agressões físicas, MORAIS e POSICOLÓGICAS de suas companheiras? Quer que eu te apresente um homem que foi QUEIMADO pela esposa possessiva?

E quando se fala em aborto, que direitos iguais é esse onde somente a mulher tem o direito de escolher entre a vida de um filho que também tem um pai? Será que os homens poderão recusar registrar a criança caso a mulher resolva sozinha ter a criança? Porque as feministas não falam em direitos iguais quando os homens são prejudicados?

Lobo Sagrado disse...

Cont.

E quanto a lei dos alimentos gravídicos, outra sacanagem aprovada pelas feministas (que você diz só querer direitos iguais)

olha só um dos artigos vetados:

Art. 10

“Art. 10. Em caso de resultado negativo do exame pericial de paternidade, o autor responderá, objetivamente, pelos danos materiais e morais causados ao réu.

Parágrafo único. A indenização será liquidada nos próprios autos.”

Razões do veto

“Trata-se de norma intimidadora, pois cria hipótese de responsabilidade objetiva pelo simples fato de se ingressar em juízo e não obter êxito. O dispositivo pressupõe que o simples exercício do direito de ação pode causar dano a terceiros, impondo ao autor o dever de indenizar, independentemente da existência de culpa, medida que atenta contra o livre exercício do direito de ação.”

Ouvidos, o Ministério da Justiça e a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres manifestaram-se ainda pelo veto ao seguinte dispositivo


Desculpa esfarrapada esta. A mulher transa com vários homens sem camisinha ou pílula, depois fica grávida e acusa o que considerar mais idiota. Até o idiota provar que não é pai do bastardinho, vai ter de sustentar a vaca por longos meses. Se o homem for casado, irá criar uma séria crise com sua esposa, até mesmo por tirar o dinheiro de casa para sustentar uma pilantra. Depois de provado, ele não terá direito à indenização nenhuma, tudo para poupar uma mulher irresponsável de qualquer punição.

Não venha me falar de senso comum e falta de informação, pois o que eu mais leio por aí é acusações infundadas de mulheres que se dizem feministas e que não sabem nada. Não sabem diferenciar antifeminismo de misoginia e acusam todos os homens (olha a generalização aí) que não concordam com o feminismo de odiarem as mulheres, como se toda mulher tivesse de ser feminista. Feministam falam por aí que mulher ganha menos que homem, mas NUNCA apresentaram uma única empresa que paga salários diferentes por sexo. Você poderia me indicar uma?

Eu sei muito mais sobre o feminismo do que muita feminista, além de que estas feministas sabem muito pouco sobre movimentos masculinos e antifeministas, falando um monte de asneiras sobre nós. Antes de vir aqui me querer me ensinar alguma coisa, vai cobrar das tuas amigas feministas mais coerência e veracidade em seus discursos.

Lobo Sagrado disse...

Sobre o mundo da pornografia, quem são os "atores" e "atrizes" e quanto ganham em média, fazem parte de um pesquisa que to iniciando e que pretendo postar em breve. Feministas (nem todas, sem generalizações, só 80% delas...) adoram criticar os homens que consomem pornografia, enquanto ficam defendendo as vadias que buscam ganhar dinheiro de maneira fácil. Para o feminismo, a mulher JAMAIS está errada. Se ela faz filme pornô, por exemplo, é porqueestava necessitsda, ou porque o mercado de trabalho é discriminatŕio contras as mulheres e não sobrou outra opção. Também tem a desculpa de que as mulheres são manipuladas por uma sociedade secreta (O Patriarcado), formada por TODOS os homens (incluindo eu) e que fazem lavagam na cabeça de TODAS as mulheres (só as feministas é que estão fora da MATRIX) para que elas façam tudo para o prazer deles. Então as mulheres se submetem a isso para que os homens possam se divertir, e estas coitadinhas não passam de meras vítimas.

Conhece Andre Dworkin? Uma gorda horrorosa e mal amada. Então, este é o tipo de mulher que fica enchendo o saco e falando asneiras.

KRibeiro disse...

"Se o homem for casado, irá criar uma séria crise com sua esposa, até mesmo por tirar o dinheiro de casa para sustentar uma pilantra"

Se é casado por que da infedelidade? Ao refletir uma ação evita-se uma série de problemas. Ah! já sei, a mulher tem que se portar direitinho e ser a responsável pelas irresposabilidades alheias. Você aponta os homens como vítimas do movimento feminista como se isso resultou na perda da identidade masculina de macho, heterossexual e dominador. Se há uma ressignificação da identidade masculina no mundo contemporâneo é porque as relações de gênero estão em transformação. Seja um pouco mais observador e perceba que uma coisa é ser feminista e outra é ser femista. Observo e percebo que muitas mulheres não adeptas do feminismo são extremamente femistas. Quantas vezes a vida ou morte de mulheres foi decidida por seus conjuges? Quantas mulheres foram assassinadas por motivos torpes. Ou você justifica a morte de mulheres em nome da honra masculina? Que honra é essa? A honra de poder decidir sobre se uma mulher merece viver ou morrer?
Durante séculos as mulheres sofreram violência dentro da esfera privada e isso era considerado normal. Uma medida "educativa". Ah! Esqueci que a mulher tem que ser agredida em seu lar, ficar calada e não pode denunciar pois é um direito masculino, macho e heterossexual bater em mulher. Se um dia ela não aguentar mais e não quiser que seus filhos cresçam em um ambiente violento ela pode levar um tiro do marido por sua ousadia como aconteceu com a Maria da Penha que dá nome a lei. A violência tem que ser punida e o respeito cultivado. Se um homem é vítima de violência por que não denunciar? A violência em todas as suas manifestações tem que ser combatida.

Esqueci que as "feias" é que agitam a coisa toda! Forma bem peculiar de tentar desacreditar um movimento que luta por igualdade de gênero. Se há uma deturpação de ideias deve ser debatida.

Creio que para você deveríamos voltar ao período em que pensava-se que a mulher só servia para procriar e cuidar da casa. Porque naquela época a família era boa de verdade! As mulheres eram mais felizes ou será que os homens eram mais felizes?

Lobo Sagrado disse...

KRibeiro,

“Se é casado por que da infedelidade? Ao refletir uma ação evita-se uma série de problemas.”

Você interpretou tudo errado. Eu me referi ao fato de um homem casado e fiel à esposa ser acusado por uma mulher oportunista. De acordo com a lei dos alimentos gravídicos, este homem pode vir a ter de pagar a pensão por um filho que não é dele até provar o contrário. Após isso, não terá direito algum, já que o artigo que puniria a “engraçadinha” foi vetado. Entendeu?

“Ah! já sei, a mulher tem que se portar direitinho e ser a responsável pelas irresposabilidades alheias.”

No caso do homem ter mesmo transado com ela (sendo ele casado ou não), caberia à mulher tomar a pílula. Não existe pílula masculina, então não se pode culpar um homem pela mulher não ter tomado o remédio.


“Seja um pouco mais observador e perceba que uma coisa é ser feminista e outra é ser femista.”

Olha, já vasculhei muitos livros de verbertes feministas e nunca achei o termo “femismo”. Aliás, isso é tão ridículo que muitas feministas dizdem por aí que este termo foi criado pelos “machistas” para ridicularizar o movimento. É a coisa mais idiota que já li, pois nunca vi qualquer antifeminista usar o termo “femismo”.

Falar em “femismo” é tentar jogar a poeira debaixo do tapete. Se uma feminista faz merda, então dizem que ela é femista, assim não queima o filme do grupo. É uma jogada bem baixa isso, não assumir seus erros.


“Quantas vezes a vida ou morte de mulheres foi decidida por seus conjuges? Quantas mulheres foram assassinadas por motivos torpes. Ou você justifica a morte de mulheres em nome da honra masculina? Que honra é essa? A honra de poder decidir sobre se uma mulher merece viver ou morrer?
Durante séculos as mulheres sofreram violência dentro da esfera privada e isso era considerado normal. Uma medida "educativa". Ah! Esqueci que a mulher tem que ser agredida em seu lar, ficar calada e não pode denunciar pois é um direito masculino, macho e heterossexual bater em mulher.”

Não viaja, minha filha. Me aponte uma linha neste blog onde eu defendi a violência física INJUSTIFICADA contra quem quer que seja. Dá pra ver que você é mais uma revoltadinha que deve ter uns trechos do que eu escrevi e fica com julgamentos bobos. Defendo a masculinidade, a honra, a dignidade do homem. Para ser macho não é preciso matar ninguém. Homens que matam são doentes e não machistas; assim como muitas mulheres histéricas, que agridem seus maridos com vassouras, paus de macarrão, arremessam objetos, atiram facas, jogam água quente em seus genitais e os queimam com álcool? Opa, disso você não fala!

Lobo Sagrado disse...

“Forma bem peculiar de tentar desacreditar um movimento que luta por igualdade de gênero. Se há uma deturpação de ideias deve ser debatida.”

Que bonitinho, mais uma menina iludida pelo feminismo! Olha aqui o feminismo que SÓ luta pela igualdade e por um mundo sem ódio:

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=412404&tid=5548281638828181279



http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=412404&tid=5372073625685153394&kw=estupro+contra+homens


http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=26646467&tid=5456987448356980227





“Creio que para você deveríamos voltar ao período em que pensava-se que a mulher só servia para procriar e cuidar da casa. Porque naquela época a família era boa de verdade! As mulheres eram mais felizes ou será que os homens eram mais felizes?”

Eu jamais pensei que a única função da mulher fosse parir filhos e cuidar da casa, porém sempre vi isso como uma prioridade das mulheres. A mulher, pela sua inteligência, pode desenvolver muitas coisas, só não deveria colocar sua família em segundo plano e nem se tornar rival do próprio marido.

Olha, a idéia de “carreira” é muito recente. Você acha que os homens de séculos atrás tinham opção de escolher onde trabalhar? O grande problema do feminismo é ver só o lado das mulheres e ficar nessa choradeira de “aí, como somos oprimidas”. Se as mulheres não tinham liberdades, muitos homens também não tinham. Se a função da mulher era só parir filho e cuidar da casa, a de seus maridos era a de trabalhar duro todos os dias, faça chuva, sol, neve ou tsunami. Em tempos de guerra, este homem ia combater em nome de seu senhor, querendo ou não. Por acaso, você que ser homem naquele tempo era uma maravilha? Entende agora porque mantenho este blog e questiono o feminismo? Não to aqui pra dizer que homem é mais coitadinho, porque isso é infantilidade. Quero apenas mostrar todos os lados, as vantagens de ser homem e também suas desvantagens, assim como os privilégios e privações que as mulheres sempre sofreram.

Aqui mais um exemplo do tipo de “igualdade” que as feministas querem (incluindo um bundão):

http://www.orkut.com.br/Main#CommPollResults?cmm=412404&pct=1177528187&pid=1762167409

KRibeiro disse...

No caso do homem ter mesmo transado com ela (sendo ele casado ou não), caberia à mulher tomar a pílula. Não existe pílula masculina, então não se pode culpar um homem pela mulher não ter tomado o remédio.


Nunca ouviu falar de camisinha? Acho que não...

Bom, em um país democrático as pessoas podem expressar suas ideias desde que não se constituam em ameaça para este mesmo país ou grupo ( no seu caso o movimento feminista). Assim como você não gosta de generalizações a respeito que machismo nada tem a ver com violência não dá para você generalizar o movimento feminista como algo ruim. Você tapa o sol com a peneira, como se tudo tivesse sempre sido um mar de rosas e com o advento do direito das mulheres e a mulher participar da vida na esfera pública a "família" foi abandonada. A família é construção social. Se você lê tanto sua capacidade reflexiva está um pouco deturpada. Claro que homens foram oprimidos no feudalismo, na antiguidade, na revolução industrial no surgimento da divisão de classes... Mas nunca o direito de dispor sobre as mulheres da forma que quiser lhe foi negado. Quantas vezes mulheres foram assassinadas pelos seus maridos e estes pelo direito de defender sua honra não foram e muitas vezes não são. Vide casa Pimenta Neves que assassinou a ex-namorada diante de testemunhas e nunca cumpriu pena! Para citar um caso famoso mas tem tanto outros. O movimento feminista trouxe coisas positivas em relação ao direito das mulheres. Se hoje uma mulher pode ir para universidade é porque uma mulher ou grupo de mulheres decidiu reivindicar o direito a educação superior. Não foi porque um belo dia os homens pensaram que as mulheres tinham esse direito. Foi preciso lutar. Entre tantas outras coisas positivas. Mas creio que pelas suas leituras você deve saber...Mas é melhor ficar com uma suposta parte ruim para defender sua tese.

Rila disse...

Muito bem Socióloga KRibeiro!
O dono do blog gira em torno do senso comum sem embasamento histórico por exemplo.
Outra coisa, se as mulheres podem andar só na rua, estudar, trabalhar, morar só, não querer ter filhos ou projetar uma carreira profissonal, etc... foi graças ao movimento feminista!
O termo femista eu vi nos panfletos punk, ele existe sim.
Existe um livro de verbetes do movimento feminista? Passa-me a referência.

Lobo Sagrado disse...

KRibeiro

"Nunca ouviu falar de camisinha? Acho que não..."

Sim, eu sempre usei. Mas se eu e a minha mulher decidirmos pela pílula, a responsabilidade ficará a cargo dela. Se a mulher é tão responsável quanto o homem, eu não vou ficar perguntando todos os dias se ela ta tomando, certo? Casais estáveis, não-promiscuos quase não usam camisinha. Sua verdadeira finalidade é a prevenção de doenças. Quando estamos com quem temos relacionamentos estáveis, isso me parece dispensável.

Lobo Sagrado disse...

Rila,

Teoria e crítica literária feminista: (INDISPONÍVEL)
preço: De 55.0 Por 38.5
editora: EDUEM
autor: Thomas Bonnici
assunto: Geografia e História
.Teoria e crítica literária feminista:

Descrição

Teoria e Crítica Literária Feminista, organizado como dicionário, apresenta verbetes explicativos sobre temas literários, históricos, conceituais, ficcionais, psicanalíticas, sociológicos e de política sexual referentes aos Estudos Feministas e de Gênero.



http://30porcento.com.br/detalhes.php?proc=9788576281030


É um bom livro.

Lobo Sagrado disse...

"O termo femista eu vi nos panfletos punk, ele existe sim."

O movimento das Rito Grrl é mal vista até pela maioria das feministas. Estas garotas são uma doentes que só sabem meter o pau nos homens, mostrar os peitos em seus "shows", empurrando o público masculino pro fundão. É um grupo de pouca credibilidade; deve ser por isso que o feminismo "oficial" não aceitou o termo "femista".

Lobo Sagrado disse...

K Ribeiro (e Rila),

Tenho pleno conhecimento dos vários tipos de feminismo. Sei que existem feministas marxistas, filiadas aos partidos de esquerda como o PSTU e PC do B, assim como as de ideais liberais (Stuart Mill, um homem “feminista” do século XIX, era um liberal, contrapondo Friedrich Engels), simpatizantes do PSDB, por exemplo. Tem as atéias, as cristãs, budistas e até algumas muçulmanas. Tem feministas negras, que associam a causa femininas a questões raciais; temos feministas, que dão mais importância à família e outra são totalmente contra o casamento. No entanto, todos estes tipos de feminismo tem algo em comum e é aí que busco fazer minhas críticas.

Este blog é mais um espaço para expor minhas opiniões, o que não me impede de publicar o fruto de meus estudos. EU NÃO TENHO OBRIGAÇÃO NENHUMA DE CITAR FONTES PRA NINGUÉM. Se tiver interessada em ler artigos científicos, recomendo o Scielo (http://www.scielo.org/php/index.php) ou a Revista Brasileira de História e Ciências Sociais (http://www.rbhcs.com/) Revista dos Alunos do Programa em Pós-Graduação dos cursos de Sociologia e Antropologia da UFRJ (http://www.ifcs.ufrj.br/~enfoques/). Você e suas companheiras estão tentando me desqualificar por isso, mas como eu disse, muitas feministas publicam asneiras em seus blogs e não vejo ninguém cobrando fontes.

A família é uma construção social? Juro que eu não sabia! Bom, se tudo é invenção da Humanidade, vamos destruir tudo e jogar no lixo cinco mil anos de civilização. Ou então, vamos voltar ao Matriarcado, citado por Engels, onde comer a própria mãe era normal. Incesto é uma construção social, certo? Vamos quebrar este tabu e fazermos uma suruba com nossos pais!

Feministas distorcem boa parte História, ao atribuir a guerra dos sexos como algo maior do que as formas de opressão por motivos étnicos, religiosos e de classes. Comparar a mulher ao negro, por exemplo, a maior idiotice que já ouvi. Uma sociedade nunca foi composta somente de homens ou somente por mulheres. O que sempre existiu foram grupos que oprimiam outros. Nestes grupos, existiam homens e mulheres que se valiam do trabalho de outros homens e mulheres. Durante a História, muitas civilizações respeitaram suas mulheres, dando-lhes muitos direitos, porém, NUNCA as mulheres destas civilizações tiveram os mesmos direitos e nem os DEVERES dos homens. Todo grupo social tem suas regras, o nosso não pode ser diferente. É muito ridículo uma feminista achar que só porque elas querem todo mundo vai deixar para trás suas tradições e valores e abraçar novos costumes. Com muito despeito, saem por aí difamando e tentando desqualificar aqueles que têm vergonha na cara e não ficam de quatro para serem penetrados por suas donas. Você pode pensar o que for de mim, mas saiba que eu tenho vergonha na cara, personalidade, não vou simplesmente apagar tudo o que aprendi porque um bando de revoltadinhas e mal amadas ficaram me enchendo o saco, dizendo que estou errado.

Já me questionei muito sobre o fato de eu estar errado por questionar o feminismo, mas quanto mais eu ESTUDO, mas me convenço do quanto é mentiroso e falso o que estas feministas (não são todas, 95% delas) dizem. Pouquíssimas feministas estão realmente dispostas a aderirem a uma igualdade plena. Isso se vê em marias da penha, lei de alimentos gravídicos, a obrigação dos homens servirem às Forças Armadas e ninguém questiona, o direito de decidir sozinha em abortar o filho que também é de um homem, as críticas aos movimentos masculinos pelos direitos dos homens, defesa às mulheres adúlteras, a difamação, calúnia e ridicularização da masculinidade, além de incentivar as mulheres a darem prioridade a coisas materiais, deixando o relacionamento com o marido e filhos em segundo plano. E você vem me dizer que sou senso comum e não sei do que estou dizendo?

Lobo Sagrado disse...

Senso comum é dizer que o feminismo é um movimento de inocentes mulheres que só querem direitos iguais. Senso comum é falar que mulher ganha menos que o homem (ganha menos porque trabalha menos, nunca vi uma feminista indicar empresas que pagam salários diferenciados, mas empresas como os Correios pagam um adicional para mulheres com filhos). Senso comum é dizer que mulher trabalha mais, onde só exibem dados sobre o trabalho doméstico, omitindo as jornadas foras de casa. Senso comum é acusar os homens de serem os únicos culpados por todas as guerras e atrocidades do mundo, ignorando o fato de que as guerras travadas pelos homens também favoreceram às mulheres e filhos destes. Senso comum é acreditar que todas as “conquistas” feministas foram conseguidas sem ajuda nenhuma dos homens. Senso comum é atribuir aos crimes de honra somente aqueles onde o marido mata a mulher, ignorando as inúmeras vezes onde os homens mataram outros homens que desonraram (ESTUPRARAM) suas filhas, esposas, mães e irmãs. Senso comum é atribuir ao machismo os crimes passionais; pois, me diga, é machismo a mulher perseguir e matar o homem que a abandonou? Quando, na verdade, estas pessoas são doentes, psicóticas, carentes. Nenhum pai MACHISTA ensina seus filhos a maltratarem suas mulheres. O MACHISMO ensina exatamente o contrário. É por isso que até hoje, muito babaca se mete em briga de casal pra defender a mulher, mesmo quando ela está errada. Homem que bate na mulher honesta ou que a mata é um doente possessivo, uma pessoa que abusou do seu poder (sua função era proteger e não oprimir), da mesma maneira que uma mãe usa seu poder para oprimir seus filhos com surras e chantagens emocionais.

Tento ser o mais imparcial possível ao analisar o feminismo, mas em ciência humanas (como você bem deve saber), é difícil dissociar totalmente nossos valores do nosso objeto de estudo. Por isso é que a minha interpretação sobre o mesmo tema não será igual à sua. O feminismo para mim é algo mais ruim do que bom. Enquanto exigiu o direito ao voto, o direito de escolher o marido, de estudar, de ter seu próprio dinheiro e bens, isso foi legítimo. Agora, por favor, não me peça para concordar com a liberação do aborto para mulheres irresponsáveis, muito menos para tirar o direito do pai de decidir sobre a vida de seu próprio filho, já que ele não tem o opção de negá-lo caso a mulher resolva ter o filho. Onde está a igualdade nisso? Não me peça para abrir mão da minha masculinidade, da minha identidade masculina e nem para aceitar namorar mulheres que não me pareçam mulheres. Sou heterossexual, gosto daquilo que é diferente. Gays gostam do que é igual. Não me peça para aceitar essa homossexualização da sociedade. Deixem os gays viver, mas não vou aceitar que isso seja disseminado ao mundo onde vivo e criarei meus filhos.

KRibeiro disse...

"Sim, eu sempre usei. Mas se eu e a minha mulher decidirmos pela pílula, a responsabilidade ficará a cargo dela. Se a mulher é tão responsável quanto o homem, eu não vou ficar perguntando todos os dias se ela ta tomando, certo? Casais estáveis, não-promiscuos quase não usam camisinha. Sua verdadeira finalidade é a prevenção de doenças. Quando estamos com quem temos relacionamentos estáveis, isso me parece dispensável. "

"Desculpa esfarrapada esta. A mulher transa com vários homens sem camisinha ou pílula, depois fica grávida e acusa o que considerar mais idiota.

Você estava falando de mulheres que se relacionam com múltiplos parceiros e que são as únicas responsáveis por prevenir uma gravidez indesejada na sua perspectiva. Em sua réplica quando eu citei o uso da camisinha você disse que reconhece mas que não precisa em um relacionamento estável. Mas não estávamos falando de relacionamentos estáveis e sim das mulheres que não estão em um relacionamento estável. Para você elas são únicas responsáveis em tomar medidas preventivas. Comum e contraditório esses seus argumentos. O homem e a mulher que possuem múltiplos parceiros(as) deveriam utilizar camisinha certo? Porque em dias de DST'S é preciso bom senso e informação de ambos os lados. Afinal pílula evita uma gravidez mas não doenças e a camisinha é uma forma de evitar as doenças. Quando o homem tem múltiplas parceiras assim como a mulher o uso dela é extremamente importante. Então, não venha mudar o debate para casais estáveis porque não estávamos debatendo sobre isso e sim na sua visão sobre a mulher que possui múltiplos parceiros e engravida. Como disse em post anterior uma atitude refletida evita maiores problemas. A responsabilidade de se prevenir é de ambos.

KRibeiro disse...

Não estou aqui para fazer você mudar de ideia quanto ao seu posicionamento. Apenas estou debatendo suas ideias, creio que assim como você está escrevendo seus pensamentos eu tenho direito de debater o assunto e questionar suas colocações. Afinal você está questionando o feminismo e como você deve saber nem sempre as pessoas concordam com suas ideias. Há os que concordam e os que discordam e a maneira saudável de se fazer isso é debatendo.

Você novamente utiliza um argumento dos primeiros antifeministas, dizer que as feministas são um bando de feias e mal amadas como forma de desacreditar o movimento é extremamente reducionista e incoerente. Para uma pessoa que se diz um estudioso do movimento e da literatura seus argumentos são fracos.

KRibeiro disse...

As leis existem para proteger os cidadãos. Houve um longo processo não acabado de lutas por direitos de vários grupos sociais. Se um trabalhador tem seus direitos negados ele pode denunciar no ministério do trabalho. Se um cidadão é vítima de algum abuso em solo estrangeiro ele pode recorrer a sua embaixada para conhecer seus direitos. Entre tantos outros.
As mulheres não tinham direitos. Te cito um exemplo no século XVII quando um pai tinha uma propriedade e apenas filhas esta era deixada para o parente mais próximo. Um sobrinho, um primo alguém do sexo masculino, mas não para mulheres na Inglaterra. Se elas não casassem ficavam a mercê deste parente e caso ele não quisesse tomar a responsabilidade de cuidar destas moças elas ficariam na miséria ou iriam trabalhar como governantas em alguma família da aristocracia. Caso elas tivessem um mínimo de formação. Quando uma mulher era vítima de violência não havia lei que a protegesse ou punisse o agressor. Afinal, se apanhou é porque mereceu.
Quando abandonada e com filhos esta mulher não tinha como recorrer a um juiz para conseguir uma pensão para os seus filhos e para ela mesma. Já que durante muito tempo mulher não trabalhava fora. O que causava uma pauperização extrema. Se foi deixada deve ter sido porque mereceu e os filhos pagam junto.
Veio o movimento feminista buscando direitos de existir na esfera pública e proteção tanto nesta esfera quanto na privada.
Até meados dos anos 80 no século passado(xx)as mulheres eram humilhadas e desacreditadas quando lutavam pelo direito dos seus filhos e delas mesmas.
Para se fazer valer os direitos conquistados foi necessário regulamentá-los em leis assim como os direitos de outros grupos para que fossem cumpridos.
Muitas conquistas que deram o direito a mulher de decidir sobre sua vida.
Quase ia me esquecendo de dizer que em Israel o serviço militar é obrigatório para ambos. Nos EUA as mulheres podem se alistar e muitas já morreram no Iraque. No Brasil há mulheres nas forças armadas. Então, não há como dizer que na hora de morrer somente o homem é que morre e protege seu país. Na segunda guerra mundial enquanto os homens estavam na guerra elas os substituíram nas fábricas contribuindo economicamente com o desenvolvimento da nação. Este caso americano. Igualdade de gênero não significa a substituição do homem pela mulher, mas partilhar espaços. Não é tomar espaços.

Rila disse...

Li tantos equívocos nessa sua resposta que nem tenho tempo de comentar todas as suas ignorâncias. Vou ao menos comentar duas coisas mais pertinentes por enquanto:
1- a família é uma construção social SIM, ou só você no mundo nasceu (no gene, DNA, sei lá) sabendo que existia um pai, uma mãe e um possível irmão? Leia o conceito de coerção do Émile Durkheim.
2- Você não me conhece para afirmar que sou revoltada e mal amada! Sou pequisadora acima de tudo e da minha vida pessoal cuido eu.

*Obs: releia seus postes e veja as contradições que você demonstra.

Lobo Sagrado disse...

KRibeiro

“Você novamente utiliza um argumento dos primeiros antifeministas, dizer que as feministas são um bando de feias e mal amadas como forma de desacreditar o movimento é extremamente reducionista e incoerente.”

Seria reducionismo se eu passasse o tempo todo apenas dizendo isso, porém é incontestável que o feminismo é formado em boa parte do por mulheres problemáticas. Valerie Solanas, por exemplo, sofreu abuso sexual na infância, viveu nas ruas, se prostituiu e era lésbica. Andréa Dworkin era uma coitada que apanhava do marido. Depois se separou e começou a fazer campanhas anti-pornografia, escreveu livros denegrindo os homens. Além de tudo, era uma gorda horrorosa e toda descabelada. Betty Friedan ainda era casada e dona de casa quando escreveu “A Mística Feminina”, mas deixa bem claro durante todo o livro sua insatisfação e tenta nos convencer de que toda mulher casada e dedicada ao lar não é feliz nesta condição. Se alguém diz que feministas são feias e mal amadas (ou pior, mal comidas), não está falando bobagem ou propagando preconceitos, como exemplifiquei acima.


“ Para uma pessoa que se diz um estudioso do movimento e da literatura seus argumentos são fracos.”

Mesmo que eu escreva uma tese “destrinchando” o feminismo e apontando seus podres, uma feminista jamais irá reconhecer que fiz um bom trabalho. Se uma feminista concorda comigo, alguma coisa ta errada: eu estou amolecendo ou esta feminista não é feminista de verdade.


“As mulheres não tinham direitos. Te cito um exemplo no século XVII (...)”

Não precisa. Estou questionando o Feminismo atual. Questionei todas as medidas que as feministas de HOJE vem tendo e você viaja no tempo pra tentar justificar a existência deste movimento ultrapassado (social, porque o política ta cada vez mais forte), que tenta de todas as maneiras ascender ao poder e impor sua vontade sobre toda a sociedade.

Ser contra o feminismo não é ser contra a mulher ou contra a sua liberdade. Maldosamente, vocês, feministas, tentam no incriminar, acusando todos aqueles que se pronunciam como “antifeministas” de criminosos e opressores malvados. Muitos de nós luta contra o feminismo do aborto, do casamento gay, que incentiva a promiscuidade feminina e vocês usam o argumento de apenas lutar por um mundo sem violência contra a mulher, como se o feminismo fosse um simples movimento social inofensivo.

Lobo Sagrado disse...

“Quase ia me esquecendo de dizer que em Israel o serviço militar é obrigatório para ambos.”

Israel é uma vergonha; eu já sabia do fato. Não falo mais nada para não me chamarem de “anti-semita”.


“Nos EUA as mulheres podem se alistar e muitas já morreram no Iraque. No Brasil há mulheres nas forças armadas. Então, não há como dizer que na hora de morrer somente o homem é que morre e protege seu país.”

Mulheres não são obrigadas a prestar o serviço militar. Este serviço obrigatório não traz vantagens nenhuma aos rapazes, por isso mesmo nunca foi questionado pelas feministas. Imagine se todo rapaz que prestasse serviço militar aos 19 anos tivesse o direito de ingressar na carreira sem concurso ou pudesse sair de lá com emprego garantido, através de um convênio com empresas? Com certeza, um monte de feminista iria fazer estardalhaço em Brasília, reclamando do “machismo” e mimimi contra as mulheres.

Outra coisa, no caso de uma guerra, TODOS os homens serão convocados. No caso das mulheres, serão somente as que já estão na carreira militar e as voluntárias. Este é o MACHISMO conveniente para as feministas. Usam argumentos estúpidos como “quem faz a guerra é o homem” (como se todos os homens fossem responsáveis pelas relações políticas e diplomáticas do nosso país) e tiram o corpo fora.


Outra coisa, no Exército mulheres não fazem parte da artilharia. Isso quer dizer que se na linha de frente só vai homem pra levar chumbo. Nunca vi feminista reclamar, porém muitas já questionaram porque não existem mulheres nos postos mais altos.

Lobo Sagrado disse...

Rila,

“Li tantos equívocos nessa sua resposta que nem tenho tempo de comentar todas as suas ignorâncias.”

A pessoa realmente ignorante aqui é você. Durante todo este tempo, não postou nada de relevante. Apenas disse que meu texto era superficial, mas não apontou os possíveis erros para dar alguma sugestão. De início, disse que me texto era superficial e que eu deveria me basear mais na sociologia, antropologia e história.

Como eu já disse antes, volto a repetir, este não é um blog acadêmico, não tenho a obrigação de usar regras da ABNT e ficar citando fontes do que escrevo. Não precisa ser um gênio para ver que o texto é superficial, sim, pois a minha intenção não é ministrar curso algum, mas dar minha opinião sobre um determinado assunto e alertar aqueles que vêm aqui ler meus textos.

Meus textos são superficiais, escritos isoladamente, porém os assuntos voltam a ser abordados em outros artigos, e aí aparecem novas informações. Quando alguém lê e sente que falta algo ou duvida, vai em busca de mais informações. Se você ficou com alguma dúvida, deveria fazer o mesmo e não esperar que eu te dê aulas. Não ganho para isso.

Sabe, é muito fácil uma pessoa dizer a outra que ela não sabe nada, sem explicar o motivo de sua discordância. Eu mesmo poderia entrar num blog sobre trigonometria e dizer que o sujeito não sabe nada e que ele deveria ler mais livros sobre o assunto. Digo isso, mas não aponto no artigo suas falhas. Você fez exatamente isso: apenas disse que eu precisava estudar mais. E aí, que trecho você leu e não concordou? Fazer uma análise dá trabalho e exige certo conhecimento, coisa que você parece não ter muito.

Comparada à KRibeiro, você é bem mais burrinha. Nem vale a pena perder tanto tempo dando explicações, porque você não vai entender mais nada mesmo.

Rila disse...

Lobo Salgado,

Não sou do tipo que afirma colocações sem pesquisa ou embasamento, logo não vou te responder por não ter tempo de escrever sobre isso.
Outra coisa, eu não preciso escrever muito aqui, que nem você faz, para mostrar que não sou burra. Eu aponto sim seus equívocos mais grotescos. E você tem, pelo jeito, têm problemas com História!
Você não conhece minha trajetória para afirmar que sou "burrinha".

ediane disse...

Concordo que o sexo deve ser depois do casamento, mas para ambos não só para mulher. Os homens podem ir para prostíbulos pegar um monte de doenças e depois casar com a virgensinha e acabar com a vida dela. Agora as mulheres não, tem que se guardar até casar e depois casar com um safado desse.
Se querem virgens então pq também não são?
Se são tão fortes então pq não controlam o desejo sexual?
Mas não são machões, o mais macho é que pega mais né?
Aff!!!

caio luan disse...

Perfeito !

Esse foi o texto mais sensato e coerente que li a respeito do feminismo.Como disseram, dá vontade de sair divulgando o texto por toda a cidade, para as pessoas ficarem cientes de quanto existe hipocrisia em nossa sociedade !!!

Um forte abraço,

Caio L. Soares - Belém-Pa