segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

O cerco contra o feminismo

Cresci ouvindo mulheres reclamando que ser mulher era algo penoso, renegando sua feminilidade, chegando ao absurdo de dizer que preferiam ser homens. Cresci ouvindo que meninas eram melhores, mais comportadas e “amorosas”, enquanto os meninos agiam feito animais irracionais. Cresci ouvindo mulheres exigindo liberdade e independência, sendo as mesmas a criticar os homens que não agissem “feito cavalheiros”. Cresci ouvindo mulheres dizendo que queriam homens bonzinhos, gentis e não-machistas, pra depois vê-las nos braços dos tipos que elas antes criticavam. Enfim, cresci acreditando que o feminismo só queria a igualdade de direito entre homens e mulheres e que não chegava a ser tão ruim. Apesar de tudo, eu nunca concordei com essa idéia de igualdade. Sempre tive grande admiração pelos personagens das histórias de época e era um grande romântico.
Com o tempo, fui me desiludindo e me decepcionando em relação a tudo, chegando a ser o cara mais pessimista do mundo. Hoje entrei num equilíbrio, estando numa posição mais central, vendo o mundo como é, mas acreditando que com trabalho e esforço, poderemos chegar lá.

Quando resolvi combater o feminismo, eu estava só. Comecei com uma comunidade chamada “Feminilidade perdida”, onde falava sobre a perda dos antigos costumes que as mulheres de outrora tinham e no quanto elas ainda exigem dos homens. Cheguei a criar um tópico para falar que era contra o machismo e o feminismo. Pensei que teriam pessoas concordando comigo, mas só tinha gente que dizia “Nhá! Eu odeiu u maxismo mais eu gosto du feminnismo pk eli deu liberdade p/ mulherexxxxx!”. Quando eu vi que as pessoas que estavam lá não tinham entendido aonde eu queria chegar e só tinha gente esquisita na minha comunidade; eu apaguei. Somente um ano depois eu criei a Antifeminismo.

Como bem sabem, a minha comunidade não é tão popular nem tão cheia quanto a “O lado obscuro das mulheres”. Muitos caras acham que a minha comunidade veio depois ou que eu me inspirei nela pra fazer as minhas. Não, na verdade eu fiz a Antifeminismo um ano antes das outras aparecerem. Já existiam algumas comunidade antifeministas, mas estas andavam mais paradas e muitas das que existiam na época, sumiram. A minha participação constante na comunidade foi determinante para que a comunidade crescesse e as idéias fluíssem.

Muitos criam comunidades e depois somem. Se for numa comunidade feminista, pode fazer, pois estão cheias de adeptos. Na linha contrária, o caminho tem que ser monitorado pelo próprio idealizador. É como numa embarcação que navega contra o vento. Quando o venta ta a favor, o capitão pode relaxar e até sumir um pouco. Quando o vento é contrário e as reações são adversas, então ele deve estar lá, incentivando, motivando e conduzindo seus homens rumo ao desconhecido.


Quem lê isso, deve estar achando tudo uma grande bobagem, uma briguinha de adolescentes. Bem que poderia ser, mas as discussões travadas aqui trarão ainda muitas conseqüências importantes. Eu tenho certeza que as idéias antifeministas propagadas nas minhas comunidades e nas comunidades irmãs mudaram a cabeça de muita gente. Penso que algumas pessoas salvaram suas vidas após lerem conselhos bem dados por pessoas mais experientes, grandes companheiros meus nesta cruzada contra o feminazismo.

As feministas falam de nós com desprezo e debocham de nossas atitudes, mas percebe-se bem que elas tem medo e tentam constantemente nos calar, por meio de apelos emocionais a todos os poderosos. Falam em liberdade de expressão e quebra de regras, mas elas mesmas não querem permitir que nos manifestemos e quebremos suas regras. Evoluí muito nestes últimos quatro anos e hoje eu posso dizer que sei exatamente o que é o feminismo.

Cheguei a pensar que conhecendo o feminismo, até poderia concordar com ele, mas ocorreu exatamente o contrário. Meu asco, repulsa, nojo, ódio, somente aumentaram com minhas descobertas. Meus argumentos melhoraram e hoje não conheço feminista de internet que possa derrubar meus argumentos com seus apelos. Se sentem superiores por terem sua ideologia bem aceita pela sociedade, por isso mesmo, acreditam que estão certas e nós, errados. Chamam-nos de “ultrapassados”, tentando fazer com que acreditemos que não há mais espaço no mundo para pessoas como nós, que somos os único insatisfeitos. Grande mentira. A cada dia que passa, conheço mais e mais pessoas que reclamam da vida que levam neste mundo moderno e aparentemente maravilhoso.

Será mesmo que o caminho para a evolução da sociedade é destruindo o principal pilar do Estado que é a família? Será com a destruição dos casamentos e a separação de pais e filhos que irá tornar esta sociedade mais sadia e feliz? Será esta competição acirrada dentro do próprio lar que irá fazer esta família mais unida e amorosa entre si?

Pensem nisso. Ainda há tempo para salvarmos a civilização humana de um colapso total.

28 comentários:

Nikolai disse...

Parabéns cara! Gostei muito do texto, refletir algumas coisas aqui.
Ei, você não está sozinho, estamos nessa luta também.
Fiz um tropico que seria muito útil para você lá na comu do Homem Justo.

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=46578698&tid=5422680113394650713&start=1

Abraços!

Maringa disse...

Parabéns mesmo, ótimo texto!
Como o colega acima disse, você não está sozinho nessa. Eu to afim de aprender mais sobre o assunto, baixei um livro sobre feminismo mas ainda não o li todo. Eu só me lembro que a escritora fez uma relação com o Marxismo. Marxismo e Feminismo estão unidos, duas "ideologias" filhas da puta. Que livros poderia me recomendar?

Às vezes eu penso se a gente não poderia fazer algo além de blogs e comunidades. Sei lá, lutar por alguma lei, algo do tipo. Enfim, vou amadurecer melhor e ficar tão bom quanto você e o Silvio (os dois melhores entendedores do assunto que eu conheço).

Grande abraço.

Paraíso Concreto disse...

Muito bom o seu texto. Foi muito bom conhecer você e outros que falam contra o feminazismo. Eu comecei em 2006 um blog para mulheres contra o machismo, aí eu vi que o lado mau nessa história é o das próprias mulheres. Eu tenho discordâncias de você e dos outros, mas vocês fazem um excelente trabalho, que aliás eu vinha fazendo também.
Sucesso
Beijos
Imaculada

Mauricio Trindade disse...

Olá Lobo, bom texto como sempre. Só que quero fazer uma ressalva, com sua permissão. Percebe-se que você realmente se exprime de um modo bastante enfático, digo, no seu texto você transparece bastante afeto pela sua causa, entusiasmo, e você havia dito que lia bastante sobre o feminismo que quanto mais lia mais sentia desprezo por este movimento, é como aquela velha receita de conhecer bem o inimigo para poder combatê-lo, e isso você faz muito bem. No entando, parece que o que disperta menos o seu interesse é o que se dirige aos próprios homens na questão das relações de gênero, em termos de leitura. Justamente por isso, quando você leu inicialmente uma sobre o masculinismo sob uma perspectva feminista que dizia "As mulheres fizeram seu movimento por liberdade e direitos iguais, mas agora é a vez DELES de se libertarem da OPRESSÃO.” conforme você me disse, e isso disperou a sua aversão ao masculinismo. Faltou porém você verificar o outro lado, que era o verdadeiro, ou seja o lado dos verdadiros masculinistas que tem uma posição crítica com relação ao feminismo. Este tipo de texto que você citou é o tipo de texto que eu lia sempre e nunca levava a sério, o que eu li e levei a sério foi livro Sexo Mentiras e Feminismo de Peter Zohrab, que foi um resultado de 13 anos de estudo, coisa séria. Mas como você ainda tinha esta visão distorcida a respeito do masculinismo,baseada numa visão feminista, você discarregou comentários inflamados contrários ao masculinismo, e depois que viu as feministas criticando o masculinismo tentou se rever sua posição. Sempre de acordo com a reação feminista.No entanto, Lobo, é importante perceber, dentro deste meio, cada vez mais as pessoas usam a expressão " masculinismo" em contrapartida ao feminismo, e mesmo as feministas já usam esta expressão para se referir a um movimento contrário ao delas, é só você ler nos tópicos das comunidades que discutismos sobre igualdade sexual e relacionadas, mas não apenas no Orkut, mas fora dele nos meios acadêmicos e não so Brasil, mas também no exterior.

Mauricio Trindade disse...

Quero que você entenda a utilidade da palavra "masculinismo", as vantagens que ela possui, porque somente ela é capaz de evidenciar um movimento legítimo que seria capaz de criar instituições, e de fato combater o feminismo. Você deve entender que um "movimento antifeminista" não seria levado a sério, não se pode combater o femismo apenas com persuasão de mais pessoas e o uso do discurso.
O feminismo está aí, ele cria ministérios, leis, projetos, medidas tem o apoio da mídia, das empresas, do estado e da população como um todo. Nós temos a chance de contornar esta situação,antes que fique como em outros países onde o feminismo já é forte, é preciso pensar grande, uma coisa importante é ter em mente que a palavra "masculinismo" não quer significa que é um "movimento de homens" como você supôs, eu já utilizei a expressão, apenas que é baseado numa perspetiva masculina, assim como o feminismo é baseado nas análises das experiências das mulheres.Também é importante ter em mente que o que é fundamental é apoiar as ideias do movimento, mas não dá para usar a expressão "masculinismo" com todo mundo, porque nem todo mundo entenderá, aliás mesmo este debate entre feministas fica restrito a um grupo de pessoas, geralmente fica no meio acadêmico e fóruns de discussão e universitário, etc. O que se estende para todos é a prática, e isso é o mais importante.Apesar de você agora prestar apoio, eu e você sabemos que é um apoio com um pé atrás, mas eu compreendo o teu lado. Incrivelmente o maior obstáculo em termos de discussão que tive que enfrentar foi com você, você sabe que é um cara influente entre nós, e o que você considera pode influenciar a outros, por isso é importante que você entenda a verdadeira mensagem do que eu quero passar. Eu obtive maior apoio dos caras que frequentam a OLODM, entre eles o Sílvio e o Shâmtia, porque eles já liam coisas em inglês sobre o masculinismo, eles sabem como está a situação lá fora e sabem que o Brasil pode tomar o mesmo rumo. Dizem que a primeira impressão é a que fica, eu sei que você não vai mudar sua posição de uma hora para outra, mas o único modo de você compreender o verdadeiro masculinismo é lendo as coisas verdeiras sobre ele, eu nem sei se você leu aquele link que eu postei inicialamente sobre masculinismo,mas aproveite para ler agora com comentários dos caras da comunidade do Sílvio:

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=90858327&tid=5423450625703132582&na=1&nst=1

E este foi o livro que mais me inspirou, se você ler pelo menos um capítulo, você verá que corresponde muito com o seu pensamento, não ofende a masculinidade, pelo contrário, há críticas sãs ao feminismo e ao politicamente correto, abordando a questão do homem como indivíduo.

http://nzmera.orconhosting.net.nz/pcontent.html
Espero que compreenda. Um abraço.

Caramon disse...

Grande texto amigo. Sua comunidade foia primeira com a qual tive contato das comunidades "machistas e retrógradas" (rs) que hoje frequento.

Nossos números só crescem, e a qualidade de nossos membros também. Esse movimento anti-feminista tem futuro e vai longe. Pode escrever.

Abraços,
Caramon Majere

Silvio Koerich disse...

Muito bom o texto Lobo parabéns

Silvio Koerich disse...

Ae Lobo colokei um link teu no meu blog, faz uma coluna com os links do pessoal também pra dar mais interação.

cs disse...

lugar de mulher é na cozinha, isso mesmo.

Vando disse...

Estou aqui meu velho,pro que der e vier nessa luta.Parabéns pelo blog.

Indefinido disse...

Estou aqui meu velho,pro que der e vier nessa luta.Parabéns pelo blog.

Indefinido disse...

"Às vezes eu penso se a gente não poderia fazer algo além de blogs e comunidades. Sei lá, lutar por alguma lei, algo do tipo. Enfim, vou amadurecer melhor e ficar tão bom quanto você e o Silvio (os dois melhores entendedores do assunto que eu conheço)."

Disse tudo.Os dois melhores entendedores,com textos destruídores e sou a favor de lutarmos por leis também.Sermos mais ostensivos.Sabe,eu gostaria de ter mais horas,para me dedicar ao antifeminismo como quando comecei a fazer parte disso.Antes,eu tinha 2 horas.Hoje,devido a faculdade,estudo para concursos,tenho,durante a semana,meia hora.Tanto que demorei para achar esse importante blog.Queria acessar e fazer parte de todas as frentes,como no começo.Até um e-mail do Peter Zohrab aquele do Sexo,Mentiras e feminismo,estou para traduzir e mandar para Filho Duma Égua.Mas não tive tempo.Estou com dificuldades,de achar MSN e adicionar alguns de vocês,uma vez que sou meio burro em informática.Mas,tendo uma grupo de luta por leis,onde eu puder eu vou me encaixar.

Indefinido disse...

"Mas não. O masculinismo originário do mundo anglo-saxão foca nos (hoje bem poucos) casos em que ainda há papéis separados. Parece propor como "solução" a radicalização do feminismo, com ainda mais igualdade, mais mulheres no exército, mais mulheres na engenharia, etc. (e também compra a falácia feminista sobre o "direito" dos homens de exercerem de papéis femininos, na cozinha e no tanque). Talvez achem que implantando a "verdadeira igualdade" as mulheres vão pedir arrego. Isso é ilusão.
.
Lá na gringolândia tem um tal de John Bly que publicou um livro chamado "Iron John" e iniciou um movimento em que os homens vão para a floresta, fazem fogueiras (até a qui tudo bem), dançam, falam alto, choram e "confessam as suas fraquezas e medo". pqp, eu realmente não gostei disso. "

Sobre o que Maurício fala do masculinismo,eu concordo com esse post do Gengis na comunidade.Temos que tomar cuidado com certos masculinismos pois existe essa frente,mesmo,de levar homens a se feminilizarem,indo para a cozinha,para o ballet,ao passo que masculinizam mais as mulheres levando-as para a engenharia e o exército.Mas concordo que temos que nos unir para criar algo institucionalizado,como o feminismo vem fazendo.Por isso,acho que temos que apoias alguém como o Peter Zohrab,ou criar um movimento na linha dele,que é masculinista conservadora,o que defende as diferenças físicas e psicológicas,consequentemente,as de funções.Mas temos quen ter muito cuidado e sendo críticos para detectar o tipo de masculinismo que não queremos.Muito cuidado!

Indefinido disse...

Quem souber inglês,ou arranhar(meu caso),e quiser falar com o Peter,o e-mail dele é esse:
peter@zohrab.name

Seria bom quem puder fazer isso.Cria uma coesão necessária para que tenhamos sucesso na nossa luta.

Indefinido disse...

E outra.Ele é uma pessoa bem atenciosa.Responde os e-mails,sempre vem mandando.Eu é que estou devendo a ele,pelo fato de não ter muito tempo para traduzir.Já tenho um tempo curto para certas coisas em português,imaginem em inglês

Aline Ramos disse...

Uau! Puxa, eu não fazia a menor idéia de que houvesse uma comunidade ou um movimento já tão (aparentemente) estruturado de rapazes que defendem os valores tradicionais de diferenças primordiais entre homens e mulheres, especialmente no que diz respeito à defesa da Família!

Parabéns, rapazes!

Vou procurar a comunidade no orkut e passar a seguir seus blogs sempre que possível! Parabéns!

Indefinido disse...

Seja bem vinda minha amiga!

mariana disse...

Vc não está sizinho na causa. Eu apoio 200% o antifeminismo. Chega de guerra dos sexos!! A mulher deve ser edificadora do lar, o equilibrio e conforto para a família. Mas o que vejo é a mulher competindo com seu próprio marido e até mesmo com a filha adolescente. Se dizem modernas, mas não tem um pingo de sabedoria. Por exemplo, no mercado de trabalho a aparencia é muito importante, e se meu marido foi promovido no emprego, eu tb vou me sentir privilegiada. Afinal, eu o ajudei a escolher a roupa, mantive-a limpa, fiz de tudo pra que ele chegasse na hora certa todos os dias. Se o chefe o elogiou e lhe deu uma promoção, sinto que a promoção tb foi um pouco minha. A vitoria de um membro da familia deve ser a vitoria da familia toda.

Hamanndah disse...

Sobre um comentário dito acima:

"Sobre o que Maurício fala do masculinismo,eu concordo com esse post do Gengis na comunidade.Temos que tomar cuidado com certos masculinismos pois existe essa frente,mesmo,de levar homens a se feminilizarem,indo para a cozinha,para o ballet"

Existem homens que cozinham maravilhosamente e não são gays, sabia?

Outra coisa, seu bocó, não é a preferencia de estudo, seja pedagogia, seja engenharia, que deixa uma mulher maiS ou menos feminina. Deixa de ser ignorante e preconceituoso.

Josh disse...

Muito bom o seu texto, melhor ainda a sua visão em relação a este assunto que diz respeito a todos, direta ou indiretamente, acho que basta um posicionamento contrário ao feminismo, apesar das mulheres se colocarem hoje de uma forma diferente elas continuam a serem as mesmas mulheres, digo continuam frágeis como sempre foram, preste atenção nas que estão a sua volta, as feministas de plantão se esforçam para colocá-las sempre para cima, mulheres são inconstantes, te amam hoje e te odeiam no dia seguinte, não posso afirmar categoricamente, mas, acredito que se essa mulher conseguisse tudo que ela esta pleiteando ela mesmo assim não seria feliz, isso é guerra, você faz parte dela, se alguma mulher te “acertar” foi porque você permitiu, vale uma reflexão particular para ver o que a mulher pode usar contra você, ela quer dar o troco, segundo ela isso é válido devido aos infinitos anos de servidão, de maus tratos, submissão a que ela foi submetida pelo homem, a reflexão interna pode te livrar de ser um possível alvo desta onda de rancor que permeia a sociedade, rancor cor de rosa, lilás, ou seja lá qual seja a cor que elas vão escolher amanhã para designar o feminino, ou melhor falando feminismo na Europa ou o mulherismo aqui, designações escolhidas por este gênero o feminino, as mulheres na sua maioria querem o poder e pronto, pois então como ficar livre disto, não precisar mais da mulher aí é que tá ... não vai ser um homem vestido ou operado que vai substituir, e não vão ser reuniões ao lado de fogueiras, abraçar, chorar, que vai resolver, acredito que todos tem que ter seus direitos, isso esta ligado ao mundo civilizado, elas querem leis, mas, quando uma lei como a da Maria da Penha é criada e um homem é beneficiado por esta lei, algumas mulheres falam que essa lei foi feita para mulheres somente, elas querem igualdade, será? Acredito em uma mulher que deixe o homem ser homem e seja realmente inteligente para não tentar ocupar o lugar dele ou até mesmo ser ele, acredito em uma mulher inteligente que a use, não para buscar a melhor forma de enganar o homem, que a use para encontrar o bem comum, a guerra é boa para mostrar a verdadeira cara de cada um. Essa mulher não quer ser igual ao homem ela quer ser superior.

Lobo Sagrado disse...

Mariana,


"Por exemplo, no mercado de trabalho a aparencia é muito importante, e se meu marido foi promovido no emprego, eu tb vou me sentir privilegiada. Afinal, eu o ajudei a escolher a roupa, mantive-a limpa, fiz de tudo pra que ele chegasse na hora certa todos os dias. Se o chefe o elogiou e lhe deu uma promoção, sinto que a promoção tb foi um pouco minha. A vitoria de um membro da familia deve ser a vitoria da familia toda."

É isso que eu gostaria que todas as mulheres enxergassem. Ver as coisas do ponto de vista do casal, da família e não pessoal. A conquista de um membro da família é uma conquista para toda a família. Mas o que acontece é que junta a ideologia do liberalismo econômico com o feminismo (ressentimento e com petição contra os homens), e agora temos um demônio criado e dominando a mente da sociedade.

Parabéns pelo seu belo pensamento.

Lobo Sagrado disse...

Josh,

Nao é mentira que durante a História da Humanidade houve muita injustiças, inclusive contra as mulheres, porém, nada tao grave como as feministas pregam.

Maior do que a guerra entre os sexos, é a questao religiosa, racial e social (de classes).

O que vemos na história são homens e mulheres pobres sendo oprimidos por homens e mulheres ricos. O mesmo acontece quando uma raça subjuga a outra ou quando uma minoria religiosa é perseguida.

O ponto de vista -- doentio -- feminista ignora os verdeiros fatores e ressalta a questao das mulheres, além de ignorar completamente os problemas masculinos. O que elas chamam de "privilégios", nada mais eram do que OBRIGAÇÕES, deveres muito cobrados por todos.

Ao invés de ficar com essa de quem foi mais oprimido, eu prefiro analisar todos os lados e mostrar que o sistema sempre foi duro com todos. O que devemos questionar é o seguinte: o que é necessário e o que nao é para que tenhamos uma sociedade justa, equilibrada e em harmonia com as leis da Natureza e concepções crista (no caso, me refiro à cultura ocidental).

Josh disse...

Dialogar com feministas, elas só escutam as mulheres, “homem nunca vai entender as mulheres” é o que elas dizem, agora essa de buscar igualdade somente mostra as feministas que o que elas estão fazendo esta obtendo resultado, se mobilizar sei lá, isso é o que elas estão fazendo há muito tempo; tem cara que acha que isso não esta acontecendo por aqui, só bebendo a cerveja e pronto, informar sobre essa situação é importante, não se deve menosprezar as mulheres elas podem causar danos, acredito em esclarecimento, testemunhos e se prevenir, esse é mais um desafio para os homens, só mais um que se tem que enfrentar. Não são todas as mulheres que pensam assim existem as que não são feministas.

MDI disse...

Primeiro quero indicar e solicitar para ajudar a divulgar um blog que reflete um movimento socialmente organizado, existente desde julho de 2009, que atua além da internet:

http://masculinismoedireitosiguais.blogspot.com/

Também quero expressar, com todo respeito, assim como o fez Mauricio Trindade, a importância de não ser sexista e deixar de lado a expressão (anti)feminismo, pois esse movimento não é foco dos direitos do homem, mas sim da mulher.

Daí, a designação MASCULINISTA como indicação de um movimento sério que foca a defesa dos valores, direitos e respeito ao Homem, com H maísculo mesmo.

Divulgue, participe, colabore com as campanhas Masculinistas em:

http://masculinismoedireitosiguais.blogspot.com/

kakakdks disse...

Ok cara, seu post foi uma bosta, vamos lá, primeiro vou apontar as milhões de falácias.

"As feministas falam de nós com desprezo e debocham de nossas atitudes, mas percebe-se bem que elas tem medo e tentam constantemente nos calar, por meio de apelos emocionais a todos os poderosos. Falam em liberdade de expressão e quebra de regras, mas elas mesmas não querem permitir que nos manifestemos e quebremos suas regras. "

Falácia do espantalho.

"Se sentem superiores por terem sua ideologia bem aceita pela sociedade, por isso mesmo, acreditam que estão certas e nós, errados."

Espantalho de novo, e ad hominem.

"Quando resolvi combater o feminismo, eu estava só. Comecei com uma comunidade chamada “Feminilidade perdida”, onde falava sobre a perda dos antigos costumes que as mulheres de outrora tinham e no quanto elas ainda exigem dos homens."

Redução ao absurdo.

"Será mesmo que o caminho para a evolução da sociedade é destruindo o principal pilar do Estado que é a família? Será com a destruição dos casamentos e a separação de pais e filhos que irá tornar esta sociedade mais sadia e feliz? Será esta competição acirrada dentro do próprio lar que irá fazer esta família mais unida e amorosa entre si? "

São perguntas, e não argumentos.
Primeiro que a base do Estado não é a família. O Estado não é uma teocracia.

Esses valores de "família" são seus. O que você está tentando expor e defender são os SEUS valores e arrisco a dizer mais, são valores CRISTÃOS, não valores que devem ser aplicados a sociedade como um todo.

Liberdades individuais não devem ser coibidas, por mais que você não concorde ou ache repulsivo. A vida é da pessoa, não sua.

"Pensem nisso. Ainda há tempo para salvarmos a civilização humana de um colapso total."

Isso é apelo ao medo.
---
Seu post também teve petição de princípio.

Na verdade, seu post não é nada mais que, uma besteira total, tem tantas falácias que não disponho tempo suficiente para listar todas, só algumas.

Argumento que é bom.... nada.

Helka Luiza disse...

Eu sou mulher, mas odeio esse lance de direitos iguais e blá-blá-blá.
As mulheres "lutam" tanto para terem direitos iguais, mas odeiam quando o homem não faz uma gentileza. Outro fato é que, nos casamentos, depois daquela fase do tudo é lindo, o homem tem a impressão de estar vivendo com outro cara, pois a mulher tenta ser tão igual ao homem que acaba se comportando como tal, e perde todo o "encanto" feminino.

Unknown disse...

Se você é como eu e acha que o homem vítima de violência doméstica por parte de sua mulher, merece a mesma proteção legal que já é dada às mulheres pela Lei Maria da Penha, por favor assinem a petição pública linkada abaixo que nada mais é que um abaixo assinado a ser encaminhado às autoridades brasileiras nesse sentido! É só clicar, ler os termos e, caso concordem, assinar: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR72821

jonas Barros disse...

Seu BLOG não e uma bosta a critica vem de pessoas que acreditam na ciencia e não na base crista, feminista pregam o ODIO entre homem e mulher e protegida e potencializada pela MIDIA dizem ser contra o patriarcado que e representado por homens Rico mas esses tipo de mulher adoram homens RICO (Capitalistas opressores) e ODEIAM homens negros e pobre (vitimas do patriarcado capitalista opressor) Feministas são crueis apoiam gigantescas Mafias (assassinos e latrocidas).
O maior base (força) das feministas esta na midia que omitem e destorcem a verdadeira realidade das coisas.
Ficarmos ISOLADOS ou tentar argumentar com elas e perda de tempo por isso a UNIÃO e irmandade e melhor coisa que devemos fazer exigir leis que defenda o homem pobre negro e trabalhador .
Ter politicos do nosso lado tambem
O seu blog deve se proteger contra a manipulação da midia .
Estar fisicamente juntos nessa e questaão de AFETO um proteger o outro ou estaremos todos lavando cuecas dos machos delas precisamos sim dar valor a mulhres ENTEQUERIDAS que esteja conosco pro que der e vier mulheres que nos ama e não essas que odeiam pobres e negros e bajulam ricos capitalista opressores mendigam sexo pros trabalhadores e fornece sexo de qualidade pra latrocidas DOUTRINADAS pela MIDIA SATANICA.