quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Sou homofóbico!






De uns tempos pra cá, a palavra HOMOFOBIA vem se tornando cada vez mais popular nos discursos de líderes GLBT (viados), feminazis e políticos simpatizantes.

Eles definem “homofobia” como ódio ou aversão aos homossexuais; mas, na prática, qualquer um que não veja beleza no ato homossexual já é considerado “homofóbico.” Queriam lançar aquele material absurdo que eles chamaram de “Kit Anti-homofoabia” (Kit Gay) que seria usado para crianças pequenas, ensinando-as que ser homossexual é a coisa mais natural do mundo e que elas tem o livre arbítrio de escolher sua orientação sexual.

Isso é coisa que se mostra para crianças? Se a criança deve ser livre para escolher que caminho seguir, para quê obriga-las a freqüentar a escola? Não precisam de ninguém para “doutrina-las”, não é mesmo? Vamos soltá-las como animais no meio do mato e esperar que sobrevivam até a puberdade, aí podemos ensinar alguma coisa, como faziam os espartanos.

O Deputado Jair Bolsonaro é o político de maior expressão atualmente nesta luta contra a ditadura gay. Não é por menos, um dos homens mais perseguidos e odiados (injustamente, claro) neste país. A verdade é que grande parte da mídia (muito feminista, por sinal) e dos nossos políticos (esquerda no poder) estão fazendo de tudo para desmoralizar este homem honrado que dá a cara pra bater e não tem medo de cara feia (de “mocréia” mal comida).

A questão aqui não é a guerra contra os homossexuais, a pessoa que leva uma vida homossexual, mas o movimento GLBT e sua reivindicações absurdas. Ninguém aqui apóia a violência contra pessoas por sua orientação sexual, somos humanos civilizados. Violência somente quando se é necessário para defender nossa integridade física.

Não gosto do homossexualismo (1), acho nojento e sujo. A cegueira é ruim, não o cego. A pobreza é ruim, não o pobre. O câncer é um mal, não seu portador. É a mesma coisa quando falamos do homossexualismo, que consideramos um defeito, um desvio de sexualidade. Assim como a pedofilia, a zoofilia e a necrofilia são distúrbios, o homossexualismo também o é.

Qual é a diferença entre “gostar” (2) de crianças, animais e pessoas do mesmo sexo? Todos estas práticas são estéreis e, de certa maneira, violentas. Ou vai me dizer que a prática diária do sexo anal não traz sérias conseqüências para o “doador”?

Essa bicharada é tão ridícula que agora tacha qualquer um que se sinta incomodado com qualquer atitude gay de HOMOFÓBICO. Até o simples ato de se recusar em “ficar” com uma mulher depois de descobrir que ela é um transexual, te chamam de homofóbico. Se você se recusa em ter qualquer tipo de relacionamento íntimo com um ser que não seja do sexo oposto naturalmente, te chamam de homofóbico.

Dizer verdades é considerada homofobia. Gays e bissexuais formam grupo de risco. Apesar de estar muito claro que os gays TENDEM a ser mais promíscuos (Luiz Mott e Ronaldo Esper assumem que já deram para CENTENAS de homens cada). A maioria dos famosos que morreram de AIDS eram gays ou bissexuais. Existe uma “brincadeira” (muito nojenta, por sinal) entre alguns homossexuais que é o BAREBACK. Resumindo: transar sem camisinha pelo risco de pegar AIDS. Doentio.

Mesmo que você seja amigo de todos os gays do mundo, militante do feminismo, defensor de todos os direitos e regalias dos gays, basta sugerir uma mínima alteração no PL122 para que as bichas fiquem doidas, apontem o dedo na sua cara e digam: “Sai daqui, seu homofóbico-machista-opressooooooorrrrrr!”

O movimento gay está fazendo com que muitas pessoas que nunca tiveram nada contra os homossexuais comecem a tomar bronca, levando muitos ao ódio e a vontade de partir para a agressão física.

Por muitos anos, eu sempre fui muito tolerante com os gays. Depois que passei a estudar o feminismo e ver a ligação entre o movimento gay e o feminista, comecei a antipatizar com os homossexuais. Tenho colegas de faculdade e professores gays, respeito todos e evito falar nestes assuntos perto deles para não ofendê-los. Não escondo de ninguém minhas idéias, todos sabem como penso, apenas evito ser grosseiro. Também defendo que nem todo gay apóia essa pouca vergonha de PL122. Muito gay sabe que a maioria das pessoas não se sentiriam bem em ver dois homens se beijando na rua e aceitam que suas intimidades devem ser trocadas em lugares reservados e não na frente de todos. Estes eu respeito.

---------------------------------------------------

1 – A palavra homossexualismo não é mais usad por ser considerada pejorativa, já que o sufixo –ismo remete à idéia doença (segundo os “entendidos”). O termo politicamente correto adotado é homossexualidade. Porém, como não sou politicamente correto, continuo usando o termo “homossexualismo” na maior parte das vezes por opção e não por ignorância.

2 – Coloquei a palavra GOSTAR entre aspas para que fique claro o sentido sexual no texto. Sabe como é, tem muita gente burra que é capaz de ler isso e depois vir me encher o saco. Prefiro deixar tudo bem explicado para não abrir espaços pra esses malas.

16 comentários:

Mauricio Trindade disse...

Concordo com o seu argumento Lobo, você tentou manifestar o direito de mostrar sua contrariedade ao homossexualismo, o que muitos chamam de homofobia.No meu caso, contesto o termo "homofobia" porque o sufixo "fobia" é usado em palavras que denotam algum transtorno psíquico, como claustrofobia, então penso que este termo é usado de forma tendenciosa por parte da militância gay. Falando nesse lance de politicametne incorreto com as palavras, eu uso agora o termo "homossexualidade" porque notei que pouco se usa "heterossexualismo" e sim heterossexualidade, então pensei que poderia não haveria problema em usar também homossexualidade. Se bem que isso não deixa de ser politicamente correto porque dá a entender que a homossexualidade é tão normal quanto a heterossexualidade, mas ainda assim, é menos pior falar em homossexualidade do que em "homoafetividade" ou "relacionamento homoafetivo", porque estes sim, eu nunca vou usar.

Professor disse...

A militância gay é extremista! aqui no RJ o que mais aparece são agendas promocionais de eventos para promover a homossexualidade,gasos com dinheiro público disponibilizado pelo Sérgio Cabral.

É autoritarismo porque apenas em uma ditadura é imposto de forma grotesca uma ideologia, sem margens para debates e oposições.

É o grupo mais intolerante atualmente aqui no RJ, talvez perdendo apenas para a militância da "igualdade" racial o qual conseguiu recentemente "cotas" em cargos públicos aqui no RJ
( Sérgio Cabral,claro!).

Lobo Sagrado disse...

Maurício,

"Falando nesse lance de politicametne incorreto com as palavras, eu uso agora o termo "homossexualidade" porque notei que pouco se usa "heterossexualismo" e sim heterossexualidade, então pensei que poderia não haveria problema em usar também homossexualidade."

O wque se questiona é exatamente o contrário do que você disse. Por que heterossexualidade e não heterossexualismo? Por isso mesmo que condenam o termo "homossexualismo". Repare, nenhuma bicha, feminista ou policitamente correo fala em "ismo", já que tal sufixo denato um sentido pejorativo à palavra.

Tem um site que explica bem isso:

http://nucleounisex.org/homossexualismo

"Homossexualismo é a mesma coisa que homossexualidade?

Mais ou menos. É importante saber que muitos estudiosos e pessoas homossexuais estão preferindo usar o termo homossexualidade ao invés de “homossexualismo“, sabe por que? O termo homossexualismo foi criado numa época em que as pessoas ainda não entendiam certos aspectos da sexualidade e fizeram muitas suposições baseadas em preconceitos que se revelaram erradas depois. Um desses conceitos equivocados é de que que homossexualidade (na época, homossexualismo) seria uma característica patológica (uma doença). Para evitar esses significados negativos, hoje é recomendável usarmos a palavra homossexualidade, que significa apenas uma das possibilidades da sexualidade humana. Utilizamos o termo “homossexualismo” neste texto apenas porque é essa a palavra que as pessoas usam quando ainda não conhecem bem o assunto e pesquisam por ela para saber mais sobre isto na Internet. Agora que você já aprendeu, prefira usar o termo homossexualidade."


Falando em homoafetividade, você já viu o vídeo do Olavo de Carvalho sobre o assunto? Chega a ser engraçado. Já vi muitas vezes e sempre dou risadas dos comentáruos dele.

http://www.youtube.com/watch?v=v5J-ekP88Dw

Lobo Sagrado disse...

Professor,

Conheço o Rio de Janeiro somente de passagem, mas pelo que me dizem e leio nas notícias, esta é uma das cidades mas promíscuas do país.

A verdade é que o Ro sempre foi "vanguardista" em tudo, desde os tempos em que sediava a corte imperial. Mas também sei que a cidade do Rio tem seus bairros tradicionais, longe da praia e bagunça. Dizem que aí ainda é possível encontrar um resquício da família tradional e alguma moça "namorável".

Esse Sérgio Cabral é um vagabundo. Não querendo desejar a morte de ninguém, bem que ele poderia estar naquele helicóptero que caiu. Para o bem de todas as família flumineses e instituições militares.

Autorizar que bombeiros gays possam ir à parada fardados é uma afronta à toda instituição. O pior de tudo é que realmente existem alguns militares "enrustidos" que poderão mesmo querer "sair do armário" e irem à parada gay com todo o apoio do Estado. O que a instituição poderá fazer?

Já temos uma visão extremamente negativa de todas as nossas insituições militares (e policias), baixa auto estima dos profissionais (salários defasados, falta de estrtura técnica, desvalorização social)e ainda vem essa fdp querendo acabar ainda mais com a moral dos caras?

Enquanto morrem milhares de pessoas nas enchentes do Rio, o governo libera dinheiro pra traveco tomar hormônio na cadeia.


http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/04/29/travestis-transexuais-poderao-usar-cortes-de-cabelo-femininos-na-cadeia-924352972.asp

Tem cabimento?

Mariana disse...

Nenhum comportamento humano é impassivel de críticas ou repreensões. Mas os homossexuais querem nos impor seus comportamntos como algo quase sagrado e que suas vontades devem estar acima de todas as regras defendidas pela maioria da sociedade. Quando seu desejo se torna lei, temos uma política da tirania. Um pouco contraditório para um grupo que afirma defender a liberdade com unhas e dentes. No kit gay, por exemplo, um garoto se vê como uma mulher e assim deseja(exige) ser tratado. Quer ser chamado(a) de Bianca e usar o banheiro feminino. Se eu acordar me sentindo uma dentista, posso entrar num consultório e fazer uma obturação? E se um aluno quiser ser chamado de Darth Vader, Magneto, Luke Skywalker? Cada um pode se sentir do jeito que achar melhor, mas fazer com que as pessoas simplesmente neguem o que estão vendo em prol do desejo alheio é doentio. Outro dia estava me sentindo uma baleia, mas não quero ser jogada no oceano por causa disso.

Mauricio Trindade disse...

Esclarecendo mais uma coisa Lobo, eu já escrevi um texto no meu blog falando de Direitos Homossexuais X Moralidade, e eu usei a expressão "homossexualidade" ao invés de homossexualismo, não porque eu concorde que o sufixo "ismo" coloque sentifo pejorativo a palavra, afinal existe também outras palavras que terminam com este sufixo e que signifam coisas postivas como altruismo. No entanto, por algum motivo considero mais normal falar em "heterossexualidade" do que em "heterossexualismo", por este motivo também uso o termo "homossexualidade".Embora eu não esteja negando que isso é fazer uma concessão ao politicamente correto, já que não pensaria em usar a palavra "homossexualidade" se não houvesse uma um apelo para usá-la. Justificando o motivo, penso que não há problema em fazer esta concessão, porque é algo diferente de outra ideia como usar a palavra "gênero" ao invés de "sexo" como se a divisão entre homem e mulher fosse uma divisão genérica criada socialmente, por isso eu não uso o termo "gênero" para falar de homemem e de mulher, pois são diferentes um do outro e querer contornar o sentido de algo tão óbvio com as palavras é tolice.

pensamentos soltos disse...

Oi Lobo Sagrado,

Concordo com muitas coisas que você diz no seu texto. Sempre achei que existe um mau uso da palavra homofobia e que não se pode colocar no mesmo saco uma pessoa de pensamento mais tradicional (entre as quais tendo a me enquadrar) que considera o homossexualismo um desvio, mas não destrata ninguém com base nisso e um pitboy que resolve se juntar com 5 amigos para dar uma surra em um gay indefeso que eles sequer conhecem (esses pitboys, na minha opinião, também têm algum desvio psicológico). Agora, você falou de vários desvios com gravidades (e pesos morais) diferentes. Acho que tem que ficar claro que a pedofilia não deve ser equiparada ao homossexualismo pois é uma prática criminosa onde uma das partes não está consentindo ou não tem discernimento para consentir. Aliás, não sei se você sabia, mas muitos homossexuais foram abusados enquanto crianças. Sofrer abuso na infância traz conseqüencias sérias para a personalidade, uma delas é o homossexualismo. Saber disso, me fez ter uma compreensão maior em relação ao homossexualismo (embora continue não achando saudável). Eu inclusive tenho alguns amigos homossexuais e sim, eles sabem da minha opinião, só não fico repetindo o tempo todo, mas já aconselhei um deles a procurar um psicólogo, já que ele foi abusado na infância. Fora essa questão do abuso, TODOS os que conheci têm histórias familiares complicadíssimas e geralmente uma mãe muito dominadora e um pai fraco.

Atenciosamente,
Ana

LEANDRO CHH disse...

E ai Lobo,
Concordo contigo cara! Devemos trabalhar em defesa da família e na ordem natural das coisas.
Não devemos permitir essa bagunça, devemos críticar sempre.
Att,.
Leandro CHH

Blog Católico do Leniéverson disse...

Olá, A paz de Cristo, sou de Campos/RJ, gostei do seu artigo
Eu tenho um blog de apologética, jornalismo e outras coisitas a mais.Eu estou te convidando para ser meu seguidor e eu serei o seu.
http://lennyjornalistacatolico.blogspot.com/

Batman _ Perfil 2 disse...

Concordo em gênero, numero e grau !!

Muito Bom seu texto, também escreve um que segue quase a mesma linha que o seu

http://willrs.homenshonrados.com/2011/07/homofobia-social.html

Juliane disse...

Nossa, totalmente preconceituoso. Isso de falar que os gays são grupos de risco para a aids e comprovadamente mais promiscuos é balela. Preste atenção.

Lucas disse...

Juliane,

Nossa, totalmente preconceituoso.


Preconceito significa "conceito" adquirido antes de ter um conhecimento de causa (daí o prefixo "PRE").

Onde é que viste "conceito sem conhecimento de causa" neste texto?

Ou será que dizer "eu não gosto de", automaticamente implica "preconceito"?

Tu tens que ter cuidado com as palavras porque por cada uma que falas dás uma impressão de ti que pode nem ser o que tu és. Com o que disseste em cima deste uma impressão de alguém totalmente ignorante dos termos que usa na sua própria conversação.

E isso que és?

Isso de falar que os gays são grupos de risco para a aids e comprovadamente mais promiscuos é balela.

Mais uma declaração ignorante.

Podes me dizer o porquê das prostitutas, dos toxicodependentes e dos sodomitas (homens que tem sexo com outros homens) estarem legalmente barrados de doar sangue na maioria dos países do mundo, especialmente na Europa (bastião do esquerdismo militante)?

Sem rodeios, e sem fugas.

Hamanndah disse...

Lucas

Vou me meter na sua briga com a Ju, aproveito para fazer uma pequenas observações:

Você escreveu:

"Podes me dizer o porquê das prostitutas, dos toxicodependentes e dos sodomitas (homens que tem sexo com outros homens) estarem legalmente barrados de doar sangue na maioria dos países do mundo, especialmente na Europa (bastião do esquerdismo militante)?"

Se as prostituas são do grupo de risco, então, os homens heteressexuais, que frequentam as prostitutas, também estão no grupo de risco, junto aos gays, ou você acha que prostituta têm doença venérea do nada, "geração espontânea",sem que ninguém tenha passado a ela? E quem a passou, hein?

Então, se prostituta é grupo de risco e homossexual é grupo de risco, homem heteressexual também é grupo de risco e mulher heterossexual tambem é grupo de risco, que transam com estes homens.

Quanto a promiscuidade, gays podem ou não serem promíscuos, homens heterossexuais podem ou não serem promíscuos e mulheres heterossexuais e/ou homossexuais podem ou não serem promíscuas

Doenças venéreas não estão escritas na testa da pessoa

Todos estão no grupo de risco, entendeu?

Lucas disse...

Hamanndah

Se as prostituas são do grupo de risco, então, os homens heteressexuais, que frequentam as prostitutas,


Sim, homens que tem sexo com prostitutas deveriam ser barrados de doar sangue por motivos óbvios.
De que forma é que isso responde à minha pergunta?

Ela aqui fica:

"Podes me dizer o porquê das prostitutas, dos toxicodependentes e dos sodomitas (homens que tem sexo com outros homens) estarem legalmente barrados de doar sangue na maioria dos países do mundo, especialmente na Europa (bastião do esquerdismo militante)?"

Diz-me o porquê destes 3 grupos estarem barrados de doar sangue.
........
Então, se prostituta é grupo de risco e homossexual é grupo de risco, homem heteressexual também é grupo de risco

Só os que tem sexo com as prostitutas.

Quanto a promiscuidade, gays podem ou não serem promíscuos

As evidências dizem que são. A promiscuidade é algo endémico à homossexualidade masculina. É por isso que os homossexuais estão desproporcionalmente representados nos novos casos de SIDA.

Doenças venéreas não estão escritas na testa da pessoa

Não, mas, estatisticamente, há mais probabilidades de encontrar doenças venéreas entre as prostitutas e os sodomitas do que as freiras ou rabinos.

V. disse...

Concordo no que diz respeito ao uso indiscriminado da expressão "homofobia", como o camarada acima disse, há diferença entre a pessoa que não concorda, mas respeita, e o pitboy que agride gratuitamente o homossexual na rua.

Esse papo do sufixo "ismo" sugerir doença é um papo furado do cacete, se fosse assim, "anarquismo", "socialismo", "expressionismo", "altruismo" e 99% das manifestações ideológicas, comportamentais, culturais e artísticas seriam coisa de gente doente.

Mas tem algumas coisas no seu texto que achei nada a ver.

Sou heterossexual, mas não tenho problemas com homossexualismo/homossexualidade em si, mas sim com certos comportamentos, certas posturas específica. Tenho um amigo de infância que lá pelos 20 e poucos anos se assumiu gay e, no entanto, embora não faça segredo de sua sexualidade, age com total ombridade no dia-a-dia, não só no trabalho, como na rua e até mesmo em casa.
No meio de uma discussão dessas pela internet, fiz amizade com um outro cara, de uns 40 anos, gay assumido e que possui umas opiniões no mínimo curiosas sobre isso tudo. O cara é a favor da união estável, mas contra o casamento gay na igreja, contra a adoção de crianças por casais homossexuais, contra parada gay e contra uma série de coisas que a maioria dos homossexuais vivem reivindicando, e tem bons e interessantes pontos pra explicar tudo isso. Expondo as opiniões dele para outras pessoas, consegui fazê-las reavaliar se o imoral, se o errado está na opção sexual, ou na postura de vida que a pessoa leva.

Sinceramente, se eu tivesse um filho gay, não ia me importar, contanto que ele preservasse os valores honra, moral, comportamento e postura. Agora, com certeza, se virasse uma coisa assim http://bichadasilva.files.wordpress.com/2010/05/20901342.jpg?w=480&h=320 eu dava um tiro na minha própria goela. O ruim, o errado, não é o homossexual, é a bicharada que perde a linha e acaba se transformando numa criatura híbrida de homem, mulher e ET de Varginha, sem honra, sem classe, sem porra nenhuma. Como esse meu amigo gay diz "quer dar o cu, dá o cu na moral". Comportamento grosseiro e escandaloso ninguém é obrigado a aceitar, seja de homem ou mulher, heterossexual ou não.

V. disse...

Acredito que a pessoa pode ser, se tornar ou se descobrir homossexual por uma série de motivos, e as coisas não são tão simples como "é doença/é falta de orientação/é isto ou aquilo".

Creio que algumas pessoas entram nessa por algum trauma, sim. Pai ausente, mãe dominadora, algum abuso sofrido na adolescência, influência direta de terceiros, vontade de transgredir algum tabu... Mas como sou espírita e acredito em reencarnação, há algo comentado dentro da minha doutrina que, por exemplo, alguém que encarna muitas vidas seguidas em um corpo feminino e, de repente, encarna em um corpo masculino, acaba "herdando" subliminarmente características femininas de suas vidas passadas, e vice-versa. Muitos podem achar papo furado, mas não é esse o ponto. É religião e entrar nessa discussão seria inútil. Só estou apresentando um outro ponto de vista sobre a questão, que pode ou não ter alguma relevância para alguns aqui.

Não acho que o homossexualismo deva ser tratado como um distúrbio comparado a pedofilia, pois a pedofilia é algo agressivo e que prejudica diretamente uma das partes. Um casal gay transando são dois gays felizes e uma criança sendo abusada não está lá porque quer, além de, provavelmente, crescer cheia de trauma nas idéias.

Acho o kit gay errado, porque esse tipo de orientação e direcionamento deve vir de casa.

E defender o Bolsonaro.... Sei lá, hein.

http://www.youtube.com/watch?v=UrLpLXe-q08
O que esse cara diz aos 3:41 do vídeo não colabora muito para que ele seja levado a sério.