domingo, 20 de junho de 2010

Homem heterossexual = pilar do feminismo atual


As feministas muito se gabam de suas conquistas e de seu poder, mas elas bem sabem que só chegaram aonde chegaram graças ao apoio masculino, e ainda se mantém no poder graças a aceitação de boa parte dos homens.

No século 19, as primeiras feministas ralaram muito para serem ouvidas. A Sociedade jamais teria dado ouvidos a elas se homens como Friedrich Engels e Stuart Mill não tivessem se pronunciado a favor delas. Com as reviravoltas na Europa com duas Grandes Guerras, oportunidades para as mulheres trabalharem nas fábricas foram surgindo. Os patrões viram que empregar mulheres era vantajoso, pois estas se mostravam mais obedientes, atentas às suas tarefas e ainda aceitavam salários menores. Além disso, ao concorrer com seus maridos, os industriais puderam baixar os salários dos homens, assim, tornando iguais os salários entre ambos os sexos (comemorem, feministas!).

Depois veio a Segunda Onda, na década de 60. Novamente as feministas obtiveram forte apoio masculino, provenientes da cultura hippie contestadora e dos grupos comunistas, que agregavam tudo quanto era “minoria” e se punham a defendê-las. As revoluções dos anos 60 mexeram muito com a cabeça dos homens, fazendo muitos rapazes se rebelarem contra seus pais e revendo os papéis de gênero dentro de suas próprias casas.

Isso é fruto de uma juventude criada num mundo feliz, pacífico, que não conhece os horrores da guerra e suas privações. Como não tinham nada melhor para fazer, resolveram questionar tudo, se entupir de drogas e a querer mudar o mundo. Estes babacas se casaram com as vadias da época e deram origem aos pais da nossa juventude atual. Muito se criticam nossos jovens, mas se esquecem de que estes são assim porque foram mal criados por seus pais.

Os homens “compreensivos” e as mulheres “revolucionárias” dos anos 70 deram origem aos homens “bunda moles” e as mulheres “vadias” dos anos 90. Estamos na terceira geração pós-revolução sexual e, pelo que parece, ainda temos que afundar mais um pouco para conseguirmos nos reerguer de novo.

Os homens de hoje são uma vergonha. Orgulho zero! O Orgulho é o que um homem deveria prezar mais em sua vida. Orgulho é Dignidade. Orgulho é Honra! Orgulho é seu amor próprio; a supremacia da racionalidade sobre a emoção: grande característica masculina presente em todos os grandes líderes da História. Um homem que almeja ser um grande líder deve, em primeiro lugar, ser um homem orgulhoso e extremamente racional. Ele deve basear sua masculinidade nos grandes homens da História, da Bíblia (ou qualquer outro ligado à sua religião), da Literatura, da família. Devem-se copiar os homens que fizeram a diferença; aqueles que inspiram respeito nos homens e desejo nas mulheres.

Como é que um sujeito fortemente influenciado por uma sociedade feminista, mídia feminista e educação feminista, pode se tornar um homem de verdade?

Ao homem foi tirado-lhe o senso de orgulho. Disseram-lhe que orgulho é coisa ruim, que não era de Deus; coisa de gente mesquinha. Ensinaram a este homem que ciúme era sinal de insegurança, fraqueza emocional, apelando para o lado machista deste homem. Então o cara aprendeu a não ser ciumento, achando que assim passaria a imagem de homem “seguro de si”, ao mesmo tempo em que ele tentava não parecer machista. E hoje a ausência de ciúme tornou o homem menos homem do que antes. Entendem? Toda esta bagunça, aparentemente incoerente, é provocada intencionalmente pelo Feminismo, com a intenção de embaralhar as mentes das massas a manipulá-las. É algo meio parecido com aqueles “exorcismos” da Igreja Univer$sal: o pastor pega o sujeito, vai rodopiando o coitado, gritando no ouvido dele e incitando os fiéis a fazerem o mesmo. Uns minutinhos e o sujeito realmente acha que tem um demônio no corpo e nos dá a graça de uma cena hilária e ao mesmo tempo triste.

O Feminismo opera como uma seita, impondo Dogmas e ameaçando com o Fogo Eterno aqueles que não o aceitam. O homem moderno está totalmente dopado. Ele se sente perdido e acredita que irá se reencontrar quando entender o que é o Feminismo. Baseado nos conceitos de masculinidade definidos por mulheres mal comidas e homossexuais enrustidos, este homem acha que está fazendo o certo ao seguir o Politicamente Correto, não sendo machista e fugindo desta designação como vampiros fogem da cruz.

Participando de algumas comunidades, percebo que a maioria dos caras só sabe meter pau nas mulheres e choramingar que são desprezado por elas e não acham justo, porque eles não fazem nada de errado, porque são legais e mimimi. Mas eles estão agindo errado, muito errado. Primeiro, por choramingar. Segundo, por não entender que a cabeça feminina é diferente da masculina. Terceiro, por não mudar sua postura enquanto homem e lutar pelo seu lugar. Quarto, por quase nunca culparem os homens que apóiam o Feminismo e o comportamento das mulheres atuais. Quinto, por queimar o filme de homens sérios, que estudam o Feminismo e se dedicam a desmascará-lo, espalhando mensagens misóginas. Sexto, por distorcerem o conceito de Honra e Virilidade, confundindo-os com estupidez, burrice e intolerância. Sétimo, por se dizerem machistas e agirem como misóginos. Oitavo, por não conseguirem distinguir quem realmente é seu inimigo. Nono, por criticarem o casamento, sendo este um dos principais meios para se combater o Feminismo. Deixo décimo item em branco.

Se você quer salvar a Sociedade do Feminismo, comece por alertar todos os homens da perda de sua masculinidade. Fale do quanto é bom ser homem, das nossas vantagens, do quanto as mulheres se sentem atraídas por um homem forte, corajoso, decidido, independente e imprevisível. Fale do quanto as mulheres nos parecem confusas, instáveis, onde suas opiniões e atitudes se contradizem. Faça estes homens perceberem que, apesar de todo o discurso feminista dos dias atuais, elas no fundo são como suas mães, avós e bisavós, esperando de um homem atitude e virilidade.

Não entre em questões de feminismo diretamente. Como a maioria das pessoas acha que o Feminismo é bom ou – pelo menos – inofensivo (digno de desprezo), você pode causar má impressão e fazer com que as pessoas abordadas fechem a guarda. Comece com comentários bobos, engraçados, sempre relacionado a diferenças entre homens e mulheres, relacionamentos, nas coisas em que ambos os sexos levam vantagem e desvantagem. Enfim, faça o homem se sentir homem ao perceber que ele é diferente de uma mulher e que tem obrigações por ser deste sexo.

Fazer um homem se sentir orgulhoso de ser homem e verificar que sua masculinidade tem preço, o fará ver as mulheres como seres diferentes, não inferiores e nem superiores, mas complementares e com obrigações próprias. Fazer este homem enxergar isso, poderá fazê-lo desejar mulheres mais femininas e repudiar as “mudernas” para relacionamento.

Tudo começa por aí. Quando os homens resgatarem seu senso de orgulho, buscarem referência nos grandes heróis da História, Religião e Literatura, quando sentirem um sensível aumento em sua auto estima e começar a rejeitar mulheres rodadas, carreiristas, com filhos, orgulhosas, arrogantes, mandonas, exibidas, mentirosas, manipuladoras e oferecidas, então um grande passo pra o início do fim da jornada feminista terá começado.

Mesmo que 99% das mulheres sejam feministas ou estejam fortemente influenciadas por este movimento, grande parte ainda é essencialmente uma fêmea, portanto, sua dependência afetivo-sexual de um macho sempre existirá. Quando estas mulheres começarem a ser rejeitadas em massa pelos homens, então muitas passarão a pensar seriamente se estão fazendo a coisa certa e se elas podem ser realmente felizes sem um homem ao lado.

Isso irá abalar a auto estima delas de tal modo, que se tornarão vulneráveis, abrindo caminho para o retorno dos homens machos, para a revalorização da verdadeira masculinidade (e feminilidade). A derrocada do “feminazismo” e do “homofacismo” será iminente.

4 comentários:

Caramon disse...

"O Feminismo opera como uma seita, impondo Dogmas e ameaçando com o Fogo Eterno aqueles que não o aceitam"

Bastante feliz esta colocação. Percebam que feministas costumam tratar quem discorda delas como "blasfemos" e adoram usar sentenças condenatórias do tipo "homem machista morre sozinho"

Indefinido disse...

"Fazer um homem se sentir orgulhoso de ser homem e verificar que sua masculinidade tem preço, o fará ver as mulheres como seres diferentes, não inferiores e nem superiores, mas complementares e com obrigações próprias. Fazer este homem enxergar isso, poderá fazê-lo desejar mulheres mais femininas e repudiar as “mudernas” para relacionamento.

Tudo começa por aí. Quando os homens resgatarem seu senso de orgulho, buscarem referência nos grandes heróis da História, Religião e Literatura, quando sentirem um sensível aumento em sua auto estima e começar a rejeitar mulheres rodadas, carreiristas, com filhos, orgulhosas, arrogantes, mandonas, exibidas, mentirosas, manipuladoras e oferecidas, então um grande passo pra o início do fim da jornada feminista terá começado."

Esse é o caminnho que venho defendendo no meio em que vivo e muitas vezes não sou compreendido.Não sou daqueles que vou com qualquer mulher.Quando vejo qualquer sinal de feminismo,de mulher forte,eu pulo fora.Muitos acham isso estranho.Até me incomoda o fato de acharem isso.Mas quando vejo tópicos como esse,vejo que estou no caminho certo.E temos que incentivar isso no mundo masculino.

Mauricio Trindade disse...

Uma coisa que noto é que feministas sempre caracterizam o feminismo como uma luta das mulheres e esquecem que o homem sempre apoiou o hoje em dia há uns que são bem mais implacáveis nos seus discursos do que as mulheres feministas. Elas sempre citam Simone de Bovoir e Betty Friedan, etc. Então nem o respeito o homem feminista consegue no meio delas. Outra coisa é questão do chamado feminismo de primeira onda, não vejo a hora de poder traduzir o livro do primeiro masculinista e desmascarar as aparentes boas intenções que esta fase do feminiso teve.

Indefinido disse...

Esses homens é quem acabam com tudo.E estou ansioso para ver esse livro.