segunda-feira, 5 de abril de 2010

O rapto do príncipe de Barm-Sur Cap. 1 A convocação do rei.

Há muito tempo atrás, numa galáxia muito distante... havia um mundo chamado Earthland. Uma terra outrora povoada por criaturas fantásticas, elfos, anões, emos, drag queens, dragões, magos, skin heads, pagodeiros, punks, demônios, loiras falsificadas, pedófilos e políticos corruptos. A história que relatarei a vocês trata de fatos ocorridos no reino de Barm-Sur e arredores, que ficava no hemisfério norte de Earthland, durante a vigésima quinta era, conhecida com a Era do Já Era.
O rei Asgandur, filho de Asgundur, filho de Asgendur, filho de Assugu, filho de Assemaru, que na língua vatapá significa Bupupututaru, convocou os melhores guerreiros que estivessem dispostos a enfrentar perigos por uma gorda recompensa. Seu filho, o delicado príncipe Asgandir, fora raptado pelo maléfico mago Ranir, filho de Jair, filho de Turumir, filho bastardo de uma piriguete com não se sabe quem, para forçar o rei a conceder-lhe os territórios gelados que ficavam na parte setentrional do reino. Ranir os queria para criar seu próprio reino e já ocupava a região há vinte anos.
Tropas do reino sempre entraram em conflito com o exército de demônios e mortos vivos do mago Ranir. Com os corpos dos soldados de Barm-Sur, o mago os transformava em mortos vivos para o seu exército. A cada dia que passava, seu poder se tornava cada vez maior. Agora, com o príncipe raptado, o rei já não sabia o que fazer. Mandou afixar cartazes por todo o reino, convocando quem estivesse disposto a trazer seu filho são e salvo.
Interessados no dinheiro, muitos se apresentaram. Todos foram reunidos na arena de jogos do reino, enquanto um representante do rei falava sobre a missão. Ao saberem o lugar para onde teriam de ir, mais da metade desistiu, mesmo com a oferta de gorda recompensa. Contudo, ainda sobraram muitos candidatos: honrados cavaleiros, samurais, caçadores de vampiros, magos, ninjas, arqueiros elfos, policiais do BOPE e da ROTA, jedis e trues black metal from hell (tr00s). Para os que aceitaram ficar, foi proposta uma triagem que consistiria em algumas provas e um torneio de lutas, no final.
A primeira prova foi “Levar um ovo sobre uma colher na boca”. Os três primeiros colocados marcariam pontos. O ninja chegou em primeiro. Meia hora depois, o ogro chegou aos tropeços, derrubando o ovo toda hora. Mesmo sendo cozido, o ovo não resistia a tantas quedas, por isso foram necessários nove ovos para que o ogro completasse a prova. Atrás dele, não veio mais ninguém. O ogro arrebentou alguns participantes e os outros desistiram da prova, intimidados pelo monstro de quatro metros de altura com um porrete na mão.
A segunda prova foi a da “Transcrição musical”. Algumas músicas em inglês foram tocadas e os candidatos deveriam transcrever as letras. A prova poderia ser realizada em dupla de dois. O ogro pegou um candidato nerd para fazer dupla com ele.
A primeira música executada foi “Love me tender”. O nerd transcreveu a letra perfeitamente. O ninja entendeu bem o inglês, mas transcreveu numa ortografia sofrível. Os elfos conseguiram se sair um pouco melhor. A segunda música foi uma em norueguês, da banda Primo Borges. Os dois trues black metal from hell não entenderam bulhufas do que foi “cantado”, mas sabiam a letra toda, depois de passarem três semanas decorando todas as letras do encarte e escrevendo-as em todas as paredes de suas casas. A terceira canção foi a “Bard Song”, do Blind Guardian. Esta foi a vez dos elfos, que sabiam, todas as canções, mas também não conseguiam entender porcaria nenhuma do que o vocalista dizia. O nerd sofreu pra entender alguma coisa e só conseguiu escrever “behind”. A próxima música foi um rap dos Racionais MC. O policial da ROTA, em dupla com o policial do BOPE, levantou e gritou:
-- Desliga essa p**** agora ou eu arrebento tudo! – puxou uma arma calibre 12 das costas e ameaçou estourar as caixas de som. O som foi desligado e os pontos também foram para a dupla.
A última música foi o novo sucesso da Lesbyoncé. Metade dos candidatos saiu correndo. A elfa gostosa (usando seu maiô fio dental) começou a rebolar, chamando a atenção de todos os marmanjos que conseguiram ficar no local. Ela teve de ser contida pelo seu amigo elfo:
-- Calma, Karollahyne. Você quer ser violentada?
-- Desculpa, meu fofo, mas é que eu não consigo ficar sem mexer quando ouvo uma música dela.
-- Eu sei, querida, mas aqui é perigoso. – disse carinhosamente o miguxo.
-- Você, sempre me protegendo. Por isso que eu te adoro. – apertou a bochecha do elfo Karlim, que ficou vermelho.
A próxima prova foi a de conhecimentos gerais, também poderia ser feita em dupla. O nerd foi mal, pois ainda estava atordoado depois da porretada que levou por ter ido mal na prova anterior. Desta vez, ele levou uma porretada tão forte que foi arremessado do estádio, caindo num lago, há três quilômetros de distância. Não se preocupem, ele ficou bem depois de uns meses.
O ninja foi mal, pois ele nunca falava, mas ele escreveu todas as respostas numa folha e que estavam corretas. Os elfos foram mais ou menos. Os policiais souberam uma ou outra, mais as relacionadas a esportes e notícias sobre crimes. Na vez dos emos responderem, eles começaram a chorar e foram desclassificados. Os tr00s começaram a grunhir algum incompreensível e também foram desclassificados da prova.
Após estas provas, foi anunciado o resultado e quem tinha se classificado para a próxima prova, a luta na arena. O ogro tava fora. Ele se levantou, revoltado:
-- Eu não aceito isso! Sou o maior e mais forte e quero lutar! Vou quebrar tudo agora e ninguém vai me par... – a dupla de policiais não esperou ele terminar de berrar e o estourou com mais de vinte tiros de calibre 12. Pedaços da criatura voaram para todos os lados.
-- Alguém mais tem algo a reclamar, c******! – bradou o policial do BOPE.
Mais uma leva abandonou o local. Ficaram apenas: a dupla de policiais, o ninja, o casal de elfos, os três amigos tr00s, um samurai, um cavaleiro, um índio, dois emos (que não paravam de chorar, desde que os policiais arrebentaram o ogro), um corintiano, um político corrupto e um teletubie.

2 comentários:

Mauricio Trindade disse...

Aê Lobo,bacana esta ideia, achei muito divertida a história, o tom satírico,a pitada de humor a caricatura dos personagens citados, dei umas boas risadas lendo os textos.

Eu tenho a intenção de criar historinhas assim no meu blog, mas em formato de quadrinhos, dividas por capítulos, que expressará uma critica ao feminismo e politicamente correto nos dias de hoje, a princípio eu pensei em fazer em formato de mangá no estilo "gegiká", mas vou fazer algo mais parecido com quadrinhos que se assemelham a cartuns.
Quero continuar lendo os futuros capítulos.

Indefinido disse...

Gostei.Quero ver os outros capítulos e quero ver o do Maurício também.Gostei do Lesbyocee.Isso traduz o que ela é de fato.Muito engraçado a parte do BOPE e do miguxo.