domingo, 4 de abril de 2010

Não sou religioso.


Meus detratores cometem um grande equívoco quando se referem a mim como um religioso. Até então, eu não tinha percebido que minhas opiniões conservadoras eram típicas das pessoas mais religiosas, por isso chegam a pensar que sou um “fanático religioso” ou “alienado”.

Em primeiro lugar, quero deixar claro que tenho o maior respeito por todas as religiões (aquelas que são sérias, que não arrancam dinheiro dos fiéis e não sacrificam inocentes). Não sou ateu, já fui. Hoje percebo que não dá pra ser ateu e negar a existência de forças superiores ou qualquer tipo de fenômeno sobrenatural. Muitos daqueles que se acham superiores por serem ateus, acabam, um dia, com a Bíblia embaixo do braço, sendo mais fanático que qualquer cristão que hoje ousa criticar e chamar de “burro” e “alienado”. Me considero agnóstico, que é aquele cara “em cima do muro”, ou seja, não posso afirmar se Deus existe ou não, pois não há meios terrestres para se chegar a esta conclusão.

Eu já fui contra as religiões, contra a Igreja Católica por todo o seu passado sujo, mas hoje eu apóio esta instituição. Se tem alguém que tem força para barrar o avanço do feminismo, este alguém é a Igreja Católica. É só observar o comportamento de países europeus católicos em relação aos países protestantes. A Itália, por exemplo, sede da Igreja Católica, é o país mais conservador da Europa. Na Rússia e na Grécia, temos a Igreja Católica Ortodoxa, e nestes países, o feminismo encontra grande resistência. Recentemente, um bando de pederastas tentou realizar uma parada gay em Moscou (não autorizada, o prefeito da cidade considerava aquilo algo demoníaco) e foram espancados por membros da Igreja Ortodoxa.

Quando era mais jovem, tinha pensamentos esquerdistas, era contra o Capitalismo e contra a dominação das religiões; sonhava com um mundo onde todos seriam livres e cultos o suficiente para viverem de acordo com suas cabeças, cultuando a Natureza e praticando filosofias em vez de religião. Mas fui percebendo que sem religião, um povo não tem motivação para a vida, não sabe viver em paz e harmonia. Os instintos animais dos seres humanos são muito fortes e este contato com Deus é que traz o Homem para a Realidade e o faz agir mais racionalmente. Um tanto contraditório falarmos em agir racionalmente, se estas pessoas estão seguindo doutrinas alheias sem contestar.

Mas isso é necessário. Basta observar o perfil de feministas, comunistas, gays e todos estes tipos pervertidos que temos na Internet. Grande parte de diz “ateu”. Para eles não existe um Deus “castrador”, por isso se sentem livres para praticarem os atos mais bestiais que podemos imaginar. Me pergunto: “Será que um ser humano não é capaz de agir civilizadamente sem que seja coagido por um deus que irá castiga-lo, caso não realize suas vontades?” Porque será que poucas são as pessoas que se livram das drogas sem que precisem recorrer às igrejas? Você, cristão, com certeza dirá que “sem Deus não há salvação”; até pode ser, mas será que tudo não passa de uma ilusão? Será que a verdade é que o medo de uma possível punição divina (a força está na incerteza) é que faz com que algumas pessoas repensem seus atos e deixem de agir de maneira tão estúpida?

Certa vez, vi uma comunidade sobre virgindade feminina. Várias meninas falando sobre a importância de cuidar do corpo e não oferecê-lo a qualquer um. Aquilo me emocionou e me encheu de esperança em ver que ainda existiam meninas conscientes da importância da castidade e do respeito por si mesmas; mas infelizmente vi que TODAS eram muito religiosas e falavam em pecado, que era errado porque tava escrito na Bíblia ou porque o padre/pastor disse que era errado. O que me chateia é que não vejo MULHERES sem religião ou não tão religiosas pensarem assim. Terem esta opinião por acharem certas coisas erradas por si próprias e não porque temem uma força superior.

Já que é para ser assim, que seja. Que as religiões venham e tomem as mentes das pessoas. Se precisamos “aliena-las” para que sejam pessoas melhores, então vamos ditar regras e ameaça-las com o fogo do Inferno. Admiro muito a família cristã, a verdadeira família cristã. Aquela onde há um pai forte e protetor e a mãe amorosa e esposa fiel. Espero ter uma família assim. Não preciso acreditar em Deus, temer o Inferno ou comungar todos os domingos para ter esta opinião. Eu simplesmente considero a família cristã perfeita, mas não o único modelo a ser seguido (me refiro às religiões do Oriente).

Reparou que existe uma forte relação entre a queda da presença feminina nas igrejas (ou sua diminuição no cumprimento de seus deveres religiosos) com o aumento do Feminismo? As mulheres sempre foram mais religiosas que os homens. O feminismo envenenou a cabeça das mulheres e as tirou das igrejas para, assim, doutrina-las no caminho maldito da perdição, do consumismo, da libertinagem. No final das contas, as mulheres que seguiam uma doutrina religiosa, passaram a seguir a doutrina do Feminismo.

Digo a todos os homens, escolham uma mulher que tenha um mínimo de religiosidade. Jamais aceite uma mulher que se diz ATÉIA. Mulher que não teme a um deus, não teme nada. Dentro dela existe uma arrogância do tamanho do mundo e não há nada que seja capaz de segurar uma mulher desta.

Você deve estar me achando incoerente ao defender tanto a religião, ao mesmo tempo que assumo ser agnóstico e aponto o caráter dominador das doutrinas. Estou sendo maquiavélico, isto é, agindo como Maquiavel agia (ou pelo menos sugeria que agíssemos). Defendo a religião por esta ser fundamental para a unificação de um povo e a manutenção de sua paz interna, mas eu próprio me abstenho dela, por não sentir necessidade. Se você se sente bem indo à igreja, orando, que bom. Sei que é reconfortante ter alguém a quem recorrer nos momentos onde não podemos fazer nada, mas eu nunca consegui seguir uma religião a sério. Além de tudo, me irrita observar como a igreja católica está permissiva, não exigindo mais o véu das mulheres, nem roupas comportadas. Há 30 anos atrás, nem prostitutas entravam vestidas nas igrejas como fazem as “moças de família” dos dias de hoje. Poucos são os padres com vergonha na cara para recusar casar uma noiva cujo decote é exagerado e ofensivo. A falta de respeito é tão grande que até amamentar durante a missa, essas mulheres fazem. Tirar o seio para fora em público deveria ser considerado atentado ao pudor, imagine isso dentro de uma igreja!

Antes ficar em casa, vivendo o cristianismo na prática. Pago meus impostos, aqueles a quem tenho dívidas, cumpro com minhas promessas, não uso a minha força para oprimir inocentes, pratico a justiça, recolho e trato de animais de ruas (os mesmos que muitos cristãos rejeitam), não trabalho em algo que me obrigue a explorar os outros, não minto ou difamo pessoas, não sinto desejo por machos nem vivo promiscuamente. Não sou santo, tenho inúmeros defeitos. Penso que se existe mesmo um deus bondoso e justo, com certeza ele reconhecerá que pratico coisas boas, apesar de não ir adorá-lo com cânticos, enquanto muitos pregadores “pela saco” não fazem nem a metade do que falam que devemos fazer, sendo ainda mais maquiavélicos do que eu.

5 comentários:

WesleyBarreira disse...

PERFEITO ESTE TEXTO, SEM POR NEM TIRAR NADA... o incrivel é que estava discutindo sobre isso com um amigo... o blog esta favoritado

Aline Ramos disse...

Como Cristã, e tbm seguidora do blog, gostaria de discordar bem enfaticamente de sua opinião de que todos os Cristãos só o são por MEDO do castigo ou punição de Deus! Isso não é verdade! Não sei se é assim com as pessoas que se dizem cristãs com as quais você comumente convive, mas de fato não é essa a motivação de verdadeiros cristãos. Não acreditamos em Deus e não seguimos a Seu Filho Jesus por medo do inferno ou porque Ele é um "deus tenebroso e castrador", não é por medo, é por amor. Não sei se você pode entender como alguém pode abdicar de tantas coisas em sua vida, e buscar viver uma vida santa por amor a Deus, mas verdadeiramente é somente o amor a Ele que pode nos capacitar pra viver em santidade, com padrões elevados e uma vida como a de Cristo, especialmente em um mundo como o que vivemos. Nos O amamos, porque Ele nos amou primeiro - e tem nos ensinado a amar a nós mesmos e aos outros da mesma forma.

Porém, concordo, com muita tristeza e descontentamento em meu coração, de que tantos (provavelmente a maioria) dos que se dizem Cristãos, tem vivido tão longe disso, e, dessa forma, vendido uma idéia/visão/compreensão tão desvirtuada do verdadeiro Cristianismo - daqueles que foram transformados pela Graça de Deus em Jesus!

Indefinido disse...

Muito bom Lobo.Eu sou católico de formação.Sou crismado,batizado,mas não sou particante.Porém estou na mesma situação sua.Não sinto a necessidade de um freio.Mas vejo na religião um melhor meio para freiar o feminismo.E essa recomendação é muito boa.Olhar para mulheres que acreditam em Deus de fato.E ver o passado dela,pois conheço uma que já foi segurança,um hábito altamente masculino,e hoje se diz devota.Essa eu não quero.Quero uma que possa ter errado em outra coisa.Menos ter feito coisa de homem,ter agido como feminista.E algo atitude boa essa do catolicismo ortodoxo.Deviam fazer isso com manifestações feministas.

Lobo Sagrado disse...

Aline,

Eu não disse que todos os cristãos o são por medo, nada disso. Acredito na sinceridade da tua fé, pelo que sempre leio no teu blog, assim como na sinceridade da fé de algumas -- poucas -- pessoas que conheço. Mas não posso deixar de falar o que realmente penso sobre esta hipocrisia social, onde parece ser crime não ser cristão, ao mesmo tempo que vivemos num mundo cheio de violência, mentiras, promiscuidade, mesmo com tanta gente que se diz religiosa.

Aí é que eu pergunto: "Será mesmo que estas pessoas são cristãs de verdade, ou a maioria só diz para passar por politicamente correta"? E por outro lado, me entristece que muitos que se dizem ateus não respeitam regras sociais e vivem vidas vazias e jogadas nos vícios. . Depois estes mesmos ateus acabam se convertendo para alguma religião, passa a viver exclusivamente desta religião, só lendo a Bíblia e parece perder a razão. A eterna incerteza da existência do castigo Eterno faz com que estas pessoas tentem se salvar antes de serem condenadas para sempre, por isso é que não vejo validade na fé destas pessoas, pois só procuraram a Deus por temor e não por amor.

Fernando oliveira da silva disse...

Paspalho,onde já se viu se contra a religião,deixa de ser imbecil,vc não percebe que a religião é fundamental para qualquer sociedade sadia,é exatamente por causa do ateísmo de hoje que estã toda essa libertinagem e caos na sociedade moderna,e imbecis ateus como vc não percebem que o ateísmo assim como o feminismo é só mais uma das armas do marxismo cultural para destruir a sociedade ocidental,e inclusive a real é baseado nos princípios religiosos,para vc ter uma ideia da importância da religião e exatemente a falta dela na sociedade ocidental que fará com que os muçulmanos dominem o ocidente no futuro,pois nenhuma religião conseguiu entender melhor a humanide como o Islamismo.Leia o Blog abaixo para ter ideia e deixar de ser mais um ateus imbecil que tem as mesmas atitudes de um esquerdista hipocrita.

http://detonandoamatrix.wordpress.com/2012/12/26/porque-o-feminismo-fara-o-ocidente-ser-dominado-pelo-oriente-ate-2050/