domingo, 15 de novembro de 2009

Menina de 11 anos dá a luz no dia do casamento

Leiam primeiro esta reportagem e depois o comentário das feminazis para que depois possam entender a minha opinião.

http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1363609-5602,00-GAROTA+DE+ANOS+DA+A+LUZ+MENINA+NO+DIA+DE+SEU+PROPRIO+CASAMENTO+NA+BULGARIA.html


Cometário das feminazis:

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=412404&tid=5399742376136721175



Bom, mais uma vez, vemos o quanto o relativismo feminista é relativo. O que elas mais pregam é que nada é natural ou feito por uma divindade, mas sim, criado pelo Homem (ou pelos homens), portanto, passível de ser questionado e mudado. Tudo é cultural, cada povo tem seus costumes e não temos o direito de dizermos o que é certo ou errado. Isso é o que essas senhoras pregam veemente em suas comunidades.

Pedofilia é assunto delicado em ser discutido, pois vivemos uma verdadeira paranóia em torno disso, onde há somente um ponto de vista aceitável e qualquer questionamento ou discordância em relação aos Dogmas “anti-pedofilia” podem ser considerados como pedofilia da nossa parte, nos inserindo no rol dos criminosos pedófilos.
Certa vez, fiz um tópico, numa comunidade, chamado “Pedofilia não me revolta”. No tópico, expliquei a razão to título, IRONIZANDO o fato de que tudo agora é pedofilia. Falei que meninas acima de 12 anos já não podem mais ser consideradas crianças e que muitas mini-vadias fazem de tudo por livre espontânea vontade. Não incentivei ninguém a sair com menininhas e nem disse que faço isso, apenas tentei mostrar que estas meninas não são crianças e que nossa cultura mudou (pra pior, claro). Me xingaram e pediram minha expulsão (mas o tópico ficou lá até o dia do meu perfil sumir) e um monte de idiota (metido a intelectual superior) dizendo: “Só li o título e parei por aqui...”. Um bando de idiota que nem busca entender o que outra pessoa quer dizer e vem com ar de superioridade pra xingar. Vivemos numa sociedade, onde as feministas querem fazer com que os homens se sintam livres para terem desejos homossexuais sem culpa, mas que pedem cadeia para todos os jovens que se envolvem com adolescentes (por livre e espontânea vontade DELAS).

No caso desta reportagem, vemos que a menina realmente ainda é muito nova, sendo considerada “criança” em nossa cultura. Mas se olharmos sob um ponto de vista biológico, ela já não mais uma criança. A infância da mulher corresponde do nascimento até a menarca (primeira menstruação), assim como nos meninos vai do nascimento a até a sua primeira ejaculação. Entre os animais, não vemos machos perseguindo fêmeas filhotes, mas somente quando elas entram no primeiro cio. A menina que mênstruo, deixou de ser criança para se torna mulher. Ainda não é adulta e levará alguns anos até o seu amadurecimento sexual. Durante séculos (até a metade do século 20, em algumas regiões do Brasil), meninas de 11, 12 anos eram entregues para o casamento com homens adultos e barbados. Tudo realizado nas igrejas, sob a “benção de Deus”. Por acaso todos esses homens eram pedófilos, depravados e sujos? Quantos relatos de mulheres que se casaram nesta idade e de que foram muito felizes e bem tratadas pelos seus maridos não ouvimos por aí?

Não estou defendendo nada, apenas expondo o outro lado. Quero que entendam que essa história de pedofilia é nova e agora estamos numa paranóia de ver violência sexual em tudo. É claro o dedo feminista por trás de tudo isso, que já tentou criminalizar os homens por transarem com mulheres adultas (“Todo intercurso heterossexual, mesmo que permitido pela mulher, é uma forma de estupro”) agora querem criminalizar os que transam com adolescentes. Querem destruir o macho de todo o jeito. Feministas são contraditórias, pois defendem a liberdade sexual, o fim da virgindade, a promiscuidade feminina e a distribuição de camisinhas para meninas de 10 anos em escolas públicas. Mas, se um rapaz de 18 anos transa com sua namorada de 13, querem a caveira do sujeito. Transformam uma paixão adolescente num crime abominável.

Sabem mesmo o que é canalhice na minha opinião? Era no tempo de nossas avós, onde a mulher “desonrada” não tinha lugar, homens seduzindo moças de família e depois deixando-as sozinhas. Uma jovem de 20 anos daquele tempo era, com toda a certeza, mais pura e inocente que as nossas meninas de 12 anos. O que ele fazia com esta moça era mil vezes pior do que se fizesse isso hoje com a menina de 12 anos. Hoje as mulheres transam novas e com todo mundo, se prostituem, fazem filmes pornográficos e arrumam filhos com pais diferentes. Depois de tudo, vem um otário (capitão salva putas) e casa com ela, dando de tudo e sendo fiel. E no tempo das nossas avós, o que acontecia a uma moça de 20 anos desvirginada por um canalha? Pra casar, só se fosse com um sujeito de nível bem inferior ou então com um velho com os pés na cova e pouco dinheiro, e também tinha o convento. Não existia diálogo entre mãe e filha, nem informação na mídia. A chance de ser enganada era grande e o sujeito sabia bem o que fazia.

A lei que pune relações com menores de 14 anos tem 60 anos; uma lei arcaica, ultrapassada, coisa que nenhuma feminista faz questão de mudar, mesmo sabendo que a realidade é outra e hoje não podemos chamar de “criança” um jovem de 14 anos. Na época em que a lei foi feita, a intenção era a de condenar o sujeito que desrespeitasse a jovem e depois fugisse para não casar. Muitos delegados serviram de “cupido” ao “convencer” o sujeito a casar com a menina. Alguns podem questionar se isso seria o correto a se fazer, mas a meu ver, alguns desses casamentos devem ter dado certo. E pelo menos a integridade moral da moça era mantida.

As feministas não querem saber de casamento, já que são anti-família. A menina da reportagem parece feliz com a filha e o casamento, e o rapaz parece empenhado em assumir esta família; mas as feministas não querem saber de nada, querem mais o cara na cadeia. Comparam o ato dele ao de um sujeito que agarra mulheres na rua, que tortura, espanca, xinga de nomes pavorosos e rasga suas vaginas com brutalidade. Desejam o mal, a violência de seu corpo e de sua moral, como se este jovem fosse um monstro depravado. Com certeza, não falariam nada se ele estivesse namorando um garoto de 15 anos. Iriam dizer: “Eh opissaum deli”, “U ki importa eh u amor”. O amor entre homens é muito válido, mas o de um jovem de 19 anos e uma jovenzinha de 11 é a coisa mais nojenta do mundo.

Se esta menina tem somente 11 anos, temos de levar em consideração a idade do moço, 19. Se fosse um homem de 30 anos ou mais, então eu veria de maneira diferente, pois aí o cara teria o triplo de sua idade para ser seu pai. Coisa mais nojenta é ver cinquentões com menininhas de 18 anos, isso é perversão. Como um cara pode pegar uma menina que poderia ser sua filha? Como pode uma menina transar com um homem como seu pai? O mesmo vale para coroas que pegam “garotões” e vive-versa. As feministas chamam de machista os coroas que curtem novinhas, e as pessoas que acham feio mulher bem mais velha com garotão; vai entende-las.

Não to dizendo que o cara ta certo ou errado. Não conheço a cultura da Bulgária e nem a dos ciganos de lá, mas com certeza tem muitas diferenças. As tais “defensoras da liberdade” são INCAPAZES de enxergarem isso e, ao invés de pensarem racionalmente, estão agindo emocionalmente; de mulheres, não podemos esperar outra coisa (homens feministas tem cabeça de mulher). Só porque aqui isso é pedofilia e mal visto, não podem esperar que em outros lugares vejam a situação com os mesmos olhos. E onde será que entra o “Mas o rapaz também é vítima desta cultura machista que acha normal transar com meninas de 10 anos”. Se fosse o contrário, a mulher seria mais uma “pobrezinha manipulada pelo sistema.” Mas como é homem, ele tem mais é que apanhar na cadeia e ser violentado.Tentam agravar a situação, dizendo que a menina ficou traumatizada, que é uma coitada, mas será mesmo? Será que está menina tem pesadelos horríveis porque transou com um cara de quem gosta?

O filho é uma responsabilidade e ela não tem maturidade para isso, mas o instinto (feminazis não acreditam nisso, danem-se) logo irá aflorar e ajuda-la a aprender a lidar com o filho, ao lado do jovem pai. Para não dizer que só desvantagens tem ser mãe nesta idade, posso dizer que ela tem a vantagem de poder criar seu filhos até a adolescência e depois entrar no mercado de trabalho, pois ainda estará muito jovem. Basta não fazer a burrada de engravidar de novo sob circunstâncias não favoráveis. Mas esta menina não é a primeira a ficar grávida nesta idade e nem a última. Em muitas culturas, ainda existem meninas que se casam muito jovens e se tornam mães cedo. Não concordo com isso, penso também que as meninas deveriam se desenvolver mais para ter um corpo mais preparado e uma mente mais madura, mas não vou tratar como criminoso quem pensa diferente.

A idéia dessas feminazis é a seguinte: prende o marido da jovenzinha, deixa ela só para cuidar da criança. Anos depois ele sai da cadeia, revoltado, viciado, agressivo e acabado. Não arranja emprego e se entrega de vez aos vícios e começa a agredir a mulher e os filhos. Pronto, agora temos uma mulher curada do “horrível trauma” que sofreu quando foi “brutalmente estuprada” por esse marginal. Será mesmo que as feministas pensam na integridade das mulheres?

Quando uma menina de dez anos faz sexo com um homem adulto, a culpa não é somente dele. Onde será que estava a família, para permitir que isso tivesse acontecido? Será que a menina foi educada corretamente, para não sair abrindo as pernas pro primeiro que visse? Se foi educada e fez, é porque é da sua natureza ser safada e imoral. O engraçado é que são justamente as meninas “reprimidas”, “atrasadas”, “manipuladas pelo sistema patriarcal” que acabam dizendo NÃO às investidas de qualquer safado que apareça, tentando “comê-las”. As moderninhas, que ouvem as feministas dizerem “Você, mulher do século 21, emancipada e livre, deve usufruir de sua sexualidade como for melhor para você, sem se preocupar com a opinião alheia.”. As feminazis fazem vista grossa, achando que meninas de 10 anos são assexuadas e que elas também não se sentem estimuladas a fazer sexo. Quando acontece o que aconteceu, jogam toda a culpa no jovem (estudos apontam que o homem de 19 anos de hoje é bem mais imaturo do que o da geração de seus avô), incentivando a violência – física, moral e psicológica – contra o rapaz, que poderia ser considerado “uma vítima do sistema vigente”. Reparem que somente mulheres são manipuladas pelo sistema, tudo isso para sempre isenta-las (do crime mais hediondo), dando a sensação de poder e impunidade.

O que mais importa para o feminismo é destruir os homens tradicionais, os machos legítimos, os que não aceitam seus mandamentos ridículos e que se recusam a seguir sua cartilha que denigre a nossa raça e joga no lixo 5 mil anos de tradição. Falam em liberdade de expressão, mas ficam loucas quando são contrariadas e vivem pedindo a cabeça de que escreve para criticá-las, ao invés de tentar debater civilizadamente.

Continuo outra hora.

10 comentários:

Max Rodrigues disse...

Parabéns, mais um bom texto.

Vale lembrar do acesso que as crianças tem às músicas funk e pagode, com letras de duplo sentido e de sexo explicito, não só as letras como as coreografias, tudo é relacionado ao sexo. Se ela acha que crianças não sabem o que fazem, então por que querem impor "educação sexual" nas escolas? Por que falar de um assunto com quem não está preparado para ouvir e falar sobre?

Abraços.

Maringa disse...

Feministas não respeitam cultura nenhuma. Se para os muçulmanos, por exemplo, mulher infiél deve ser apedrejada, nada tem que se questionado, pois se trata de uma cultura, nem melhor nem pior do que a nossa, apenas diferente (e apoiada por muitas mulheres, inclusive). Feministas querem IMPOR seu modo de pensar a TODO MUNDO, sem levar em consideração as particularidades de cada cultura.

Realmente, muito irônico defenderem o funk, que incentiva o sexo desde MUITO cedo e ficarem agora fazendo a caveira do pobre sujeito. A menina de 11 anos pelo jeito está feliz, o sexo foi consentido e o cara ta disposto a assumir a nova "família". É apenas isso que importa. Que essas feministas não vençam nem sejam ouvidas, se Deus quiser.

Mauricio Trindade disse...

Eu sou favorável que um adulto possa namorar alguem menor de idade, pelo menos está na lei, e não como nos EUA onde alguem com 19 por exemplo, não pode namorar uma menina de 17, é preciso considerar o contexto, a maturidade de cada indivíduo para avaliar casos como este.

Carolina Manck. G. disse...

Se tivesse mais homens assim no planeta nós mulheres teríamos mais coragem de casar e ter uma familia feliz... num país de homens frouxos e feminazis o que acontece é isso...

Hamanndah disse...

Quando eu tinha 10 anos, não tinha seios desenvolvidos nem nada e um adulto da família puxou a minha calcinha.

Voces, certamente, vão dizer que eu sou puta, que eu provoquei,eu digo, para minha defesa, que eu não tinha corpo de adolescente, não tinha seios e brincava de boneca, nenhum sinal feminino, lisa como uma tábua, quadrada como uma geladeira. Eu só estava brincando de bonecas, como tantas crianças, esse foi o primeiro contato com o lado repelente dos adultos e foi uma pessoa mais de quarenta anos mais velha do que eu, alguém absolutamente repulsivo.

De repente, voces vao querer, agora, legalizar o estupro....

Jorge disse...

Não sou a favor o estupro,nem em meninas novas nem em mulheres velhas,as relações deve ser feitas de livre expontanea vontade,mas não aceito a idéia de que só o homem mais velho é culpado de comer uma menina menor de 12 anos,afinal a menina quer dar,e só o homem é culpado?Nas estradas as meninas novinhas ficam se oferecendo para os motoristas para ganhar dinheiro,e depois o motorista flagrado é punido e pq não punir tb a putinha que tendo nome de criança foi dar para ele?Criança uma óva,ele merece cadeia tambem,Tinha que prender a putinha de menor,para não ficar se prostituindo nas estradas.Na realidade o homem não deveria ser preso,quem tinha que ser preso é a putinha com nome de criança,que de criança não tem nada.

Lobo Sagrado disse...

Hammnndah,

Não sei se você é burra ou se faz de tonta. Leia o texto de novo, com calma. Se puder, leia também a matéria e o tópico na comunidade feminista sobre o assunto. Tente juntar tudo isso a um contexto, quem sabe, com um pouco da tua compreensão, você poderá entender que não estamos defendendo o abuso sexual de adultos contra crianças e nem jogando a culpa somente num dos lados.

Você quer comparar um caso onde uma menina de 10 anos se envolve com um rapaz de 19 com o seu, onde um coroa safado, amiga da família te assediou? São coisas muito diferentes.

Meu texto está bem claro (do contrário, mas pessoas além de você não teriam entendido), estou criticando a opinião feminista sobre o caso, também cobro das famílias que eduquem suas filhas de maneira rígida e tradicional. Como você esperar que sua filhinha de 10 anos não seja "abusada", se você der a ela uma liberdade que não se dava nos tempos de nossos pais? Se você, como feministas, acha sexo um tabu, virgindade uma regra do patriarcado e que o sexo é algo maravilhoso, porque ficar horrorizada que tua filhinha de 10 anos esteja "dando" para algum playboy? se ela não der aos 10, dará aos 12 ou aos 15.

Graças a essas merda de comida cheia de hormônios, de soja, menhinas estão virando mulheres cada vez mais cedo. Ainda temos a mídia que estimula, as mães que dão liberdade; aí você espera que tua filha seja santa?

Ninguém aqui está contra as mulheres, apenas defendemos os homens de hoje, que são as maiores vítimas deste sistema marxista cultural do politicamente correto, onde verdades são jogadas para debaixo do tapate por serem por demais doídas. As feministas estão sempre do lado das mulheres, independente da gravidade de seus crimes e sempre contra os homens de verdade.

Tentam nos castrar de todas as maneiras. Ao mesmo tempo que incentivam as mulheres a andarem vestidas feitos putas, pedem cadeia para quem simplesmente ouse olhar. incentivam adolescentes a fazer sexo, mas pedem cadeia para os homens que se envolvem com elas, sendo que as próprias meninas não querem garotos de sua idade, mas sim, os homens feitos, justamente os que não podem. Todas essas táticas feministas são sujas e estão fazendo muitos homens recuarem, deixando-os amendrotados e confusos. Todo este cenário é propício para a ascensão do Feminazismo; porém, um pequeno grupo rebelde ainda resiste e isso ta tirando o sono das feminazis. Somos nós!

Lúcio disse...

ÔOOpa. Agora é minha vez de desmascarar a hipocrisia feminina!! E com conhecimento de causa. Tenho 33 anos e sou um razoavelmente bonito, forte, malhado e bem inteligente.Vejam bem, 33 anos. Tenho observado, principalmente nas classes sociais inferiores, os pobres e classe média baixa, que as mulheres, de todas as idades são PROMÍSCUAS E DEVASSAS. Praticamente todas adoram falar de sexo já aos 11, adoram falar palavrões e se o cara não der em cima, chamam ele de VIADO!! Isso em nada tem a ver com necessidade financeira ou serem vítimas da sociedade ou desigualdade social. Conheço dezenas de mulheres decentes que foram muito pobres e nunca tiveram o comportamento devasso como as menininhas de hoje tem.
Já aos meus 33 anos, este ano mesmo fiquei com 3 meninas de 13 anos, uma de 14 e outra de 19,de beijo de língua e tudo. Elas mesmas dizem que "o amor não tem idade" para mascarar a galinhagem crescente já assim que deixam de ser crianças.
Chamem do que quiserem.Não irei me negar carinho nem o prazer de uns bons amassos em meninas que praticamente PEDEM pra isso, e que se você não faz por medo ou consciência, te difamam entre as amiguinhas te chamando de frouxo.
Agora sobre as mais velhas: Como já disse já peguei mulheres de 13 até 50 anos. Peguei uma coroa gostosa, muuito gostosa que deixaria muitas meninas de academia no chinelo, de 50 anos de idade. Devo denuncia-la por ter me assediado, eu que sou 17 anos mais novo ?
Vejo meninas engravidando com 10, 11,12 anos de idade, o que demonstra o grau de amadurecimento e preparo biológico pra maternidade, bem diferente das brasileiras apáticas e anêmicas do Brasil Colônia e Patriarcal de até começos do século 20, como bem já dizia Gilberto Freire.
Talvez pela alimentação mais nutrituiva de hoje, o organismo delas se fortalece mais cedo.
Outro dia eu falava para uma turma de 12 garotas entre 12 e 17 anos na porta do colégio, após as aulas, e o assunto girou em torno de namoro e sexo. Conhecendo que as mulheres são como são e NUNCA gostaram das coisas certinhas e se aborrecem com coisas corretas, saquei o meu celular, chamei-as pra mais perto e fiz elas assistirem um vídeo de sexo no meu celular: foi uma comédia..elas mesmas chamavam as outras para verem, entre risinhos histéricos e caraetas de choque. Todas adoraram. então algo me veio na cabeça (de cima): fazer o teste inverso. Falei "agora vamos discutir Física Clássica". Elas praticamente me bateram.

José Roberto disse...

E quando o agressor é uma mulher adulta? Observem a imagem e o comentário da matéria publicada no estado/msn:

http://jrbraz.blogspot.com/2011/01/pedofilia-mulher-pode.html

jorge disse...

(estudos apontam que o homem de 19 anos de hoje é bem mais imaturo do que o da geração de seus avô)gostei dessa parte do texto, trabalho no interior e constato que os jovens de 19 por lá são mais maduros que os de 19 nos centros urbanos.